Páginas

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Efeito Caio Fábio (ou Efeito Evangelho)

Acompanho o site do Caio Fábio praticamente desde que ele surgiu. No período em que o Caio ainda conduzia uma reunião em Copacabana chamada Café com Graça. À época eu ainda estava no processo de libertação mental, participante de uma igreja neopentecostal que outrora fora uma das principais representantes do pentecostalismo clássico no Brasil.

Acontece que de lá pra cá, vez e outra fico sabendo da repercussão que o ministério do Caio tem tido num e outro canto. Um pastor amigo meu disse que não usava o link do Blog do Caminho por conta da reação do presbitério.

Um outro amigo fora indagado por uma liderança religiosa pelo fato de “dar ouvidos ao Caio”.

Em algumas igrejas tem se constituído uma espécie de DOPS GOSPEL a fim de saber e retaliar aqueles que tem acompanhado a galera do Caminho.

Algo que sempre leio e ouço o Caio dizer em seus textos e pregações é que ele não tem dito nada de novo, mas simplesmente pregado o que sempre pregou. Eu complementaria que hoje ele tem maior liberdade e leveza para falar com maior clareza possível sobre tudo o que falou no período em que era quase tido como “o papa” dos evangélicos.

O mais incrível é que, diante desse espanto em relação ao Caminho da Graça, muita gente entra na onda e critica aquilo que nem sabe. Coisas pessoais da vida do homem são questionadas como se tivesse a maior importância do mundo, isso quando não se afirmam inverdades absurdas.

Ora, nunca defendi nem preciso defender o Caio. Ele é adulto e inteligente o bastante para fazer isso sozinho. Contudo, me entristece ver que muita gente boa tem entrado na onda da rejeição total de tudo aquilo que se referira ao Caminho da Graça.
Ora, não se precisa concordar com alguém em tudo, não obstante vale a pena ouvir, aceitar pontos de confluência, e ser cauteloso ao criticar.

É incrível como a hipocrisia reina. Ninguém é tido como herege por andar com “profetinhas de fundo de quintal” que chutam mais que a mãe Diná em suas previsões. Ninguém é tratado como mercenário por se assentar nas rodas dos escarnecedores formada pela cúpulas das grandes denominações, que nada decidem a não ser os próximos passos políticos a serem dados.

Não vi até hoje qualquer que fosse chamado de partícipe por contribuir com eleições evangélicos notoriamente corruptos, com manipulações, ameaças e pequenos reinados formados por líderes religiosos que, em semelhança aos do nosso Congresso, se apossam de suas cadeiras em mandados inquestionáveis e intermináveis.

Quando olhamos para a história da Igreja, percebemos algo que todos aceitamos indiscutivelmente: os hereges de hoje são os grandes heróis da fé de amanhã. Os nomes que citamos em textos, nas pregações, que ocupam os perfis de nossos espaços internetianos, salvo raras exceções, foram tratados como hereges incorrigíveis em seu tempo, mas respeitados e reconhecidos como grandes mentores algum tempo depois.

Particularmente, tenho preferido alguns daqueles que têm sido chamados hoje de hereges. E não me furtarei em ouvir qualquer daqueles que eu entenda estar pregando na consciência do Evangelho de Jesus, o Evangelho da Graça de Deus; se as boas novas estão sendo pregadas por alguém, bendito seja este alguém – mesmo que seja um então herege.

11 comentários:

Tuco Egg disse...

Amém.

Gaby disse...

Amen!!
Amo a Caio!

Rubinho Osório disse...

Huuummm... não caio nessa.
Depois de tudo que já aconteceu com o "hôme", reservo-me o direito de ter reservas.
Toda notoriedade é alvo de críticas, mais por inveja do que por conteúdo. O Caio mais ainda, por ser controverso e atrair radicais, a favor e contra.
Eu, por via das dúvidas, mantenho saudável distância.

Roger disse...

Rubinho,
eu também mantenho minha distância, a qual o próprio Caio impôs após sua queda. Ou seja após seu retorno, também não me aproximei como antes de seus programas ou palavras.
Mas o que o Beto fala é outra coisa, de julgar quem se (re)aproxima dele, isso já é outra história.

Pr.João ferreira disse...

A palavra de Deus afirma que:
O cair é do homem,o levantar é de Deus,então como o Caio fala de marginais quie se garantem em senadores e no adorado dinheiro do povo e em seus bizarros progamas de tv,q por sua vez são chatos fingisdos e desprovidos de unção,psicólogos decoradores de versículos,com sua gritarias A$$EMBLEIAN$ que são tão santos mas por dentro magneto de desvio de conduta em todos os sentidos.Quem armou pro Caio e agora curte que está na midea à muitos anos,a maioria destes malandros tem medo da receita federal,policia fedral,ministério púbilco e do Deus que extermina o pilantra e lança a alma no inferno.Se o evangélho é extremo e delicioso meio de ganho($),por que a maioria é formada por sonegadores sem chamado.Muitos são chmados de pastores,mas, poquíssimos são chmados para pastorear.A MAIORIA DAS IGREJAS HOJE SÃO VERDADEIRAS BOLSAS DE VALORES.

Waldir Martins disse...

Caio Fábio, Ricardo Gondim e outros são grandes formadores de opiniões. Atacam e obviamente são atacados, julgam e também são julgados. Quando emitimos opiniões, inevitavelmente elas serão julgadas. Acredito que muitos destes "formadores de opiniões", falam não por convicção, mas por mágoa, carregados de frustrações.
Waldir Martins

jubis disse...

Vejamos onde o Ricardo Gondim ataca o Caio? não existe em nenhum lugar, agora o contrário...então por favor, não digam atacam e são atacados. Digam: são atacados, ou é atacado, pelo fato de ousar pensar diferente da cartilha calvinista.

Waldir Martins disse...

Bem, se for referência ao meu comentário, eu não disse que o GONDIM ataca o FÁBIO. Ambos disparam suas metralhadoras em todos os sentidos e direções, certos ou errados é o que eles fazem. Isto obviamente gera um contra-ataque.

Roger disse...

Pode ser que Gondim ataque pressupostos, paradigmas, mas se ele ataca pessoas (direta ou indiretamente), eu desconheço.

No máximo já vi ele fazendo o que todos fazemos que é protestar contra uma ou outra ação de um político qualquer.

Saudações fraternas,

Roger

Anônimo disse...

Concordo Roger. E nisto a contribuição dele é muito grande.

Waldir Martins disse...

Perdão, cliquei no lugar errado.
Então: Concordo Roger. E nisto a contribuição do Gondim é muito grande.