Páginas

quinta-feira, 22 de julho de 2010

A insuficiência do amor não demonstrado

Em 1967, um casal cristão, Nicolaas Willem van Eijk e Trijnie van Eijk, motivados pela ordem bíblica de “ir e pregar o evangelho a toda criatura, até os confins da Terra”, chegaram ao Brasil a procura de uma cidade em que não houvesse nenhuma igreja evangélica.

Após conhecer várias cidades, o casal recebeu direcionamento de Deus para se instalarem em Sabinópolis, cidade localizada no nordeste de Minas Gerais, no Vale do Rio Doce. Iniciada a pregação do evangelho, Nicolaas e Trijnie observaram que o povo da região carecia de tantos recursos materiais, que apenas o amor pregado, mas não demonstrado em atos, não seria o suficiente. Em pouco tempo, embora não tivesse sido este o plano inicial, paralelamente à pregação do evangelho, aquele casal passou a dar assistência material ao povo, dividindo aquilo que dispunham em sua própria casa.

Em 1973, após lutas para se conseguir recursos de patrocinadores. Iniciou-se a BEM - Bem Estar do Menor por meio da ajuda pessoal dos que se identificavam com o trabalho. Assim, foi oficializada a Ação Social da Igreja Evangélica Missionária Pentecostal, através de um órgão de personalidade jurídica que constitui a Bem Estar do Menor.

Hoje a BEM possui projetos sociais em oito cidades: Sabinópolis, Senhora do Porto, Carmésia, Euxenita, Paulistas, Materlândia, Rio Vermelho e Mar Grande – BA.

Temos hoje, a "Segunda Geração", Oscar e Daniel van Eijk e um grupo de cooperadores, que são chamados por Deus para dedicarem suas vidas apoiando o trabalho da BEM.

fonte: BEM

2 comentários:

Rubinho Osório disse...

Minha irmã, Priscila Osorio, quando moradora de BH e membro da ABU local, e depois, da Visão Mundial, esteve em Sabinópolis várias vezes e conheceu o Nicolas bem. Eu o vi apenas uma vez, quando estive na cidade, como assessor da ABUB.

Roger disse...

Rubinho,

de alguma forma, tinha essa certeza que nossos caminhos já haviam, algum dia, no universo não virtual, de alguma forma se cruzado.

Tá aí!