Páginas

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

(Não) Gaste seu dinheiro com certas bobagens

Roger_e_família.JPG“Em casa estávamos, como eu ia dizendo, longe de sermos ricos, e a rígida filiação de meus pais à ética protestante impedia que caísse nas mãos de nós, filhos, qualquer dinheiro que pudéssemos gastar “com bobagem”. Na prática isso significava que nunca – jamais, senhoras e senhores – levávamos dinheiro para comprar lanche na escola; que nunca abrilhantávamos a fila do pátio com o mais novo modelo de tênis ou os cadernos da moda; e – no que me diz respeito muito mais sério – que não lembro ter experimentado uma única vez aqueles bem-aventurados pães-doces nos anos em que moramos naquela rua.

A centrada economia de meus pais, por outro lado, permitia que convivêssemos com engenhos com que o pessoal da rua nem sequer sonharia: TV em cores, telejogo, microscópio, máquina fotográfica Minolta, telescópio desmontável, um número obsceno e sempre crescente de enciclopédias e livros. Esse tipo de bobagem.”

Paulo Brabo

Um depoimento que, com uma ou outra correção, poderia ter sido escrito por mim ou qualquer um dos meus quatro irmãos.

2 comentários:

Rubinho Osório disse...

Ou por mim!

Anônimo disse...

Amei!
Beijos,
Denise