Páginas

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

A potente mão de Deus

Não tem como negar que a Bíblia é uma fonte tremenda de inspiração espiritual, até mesmo quando nos deparamos com suas esquisitices: os massacres sanguinários do Velho Testamento ou com as loucuras apocalípticas do Novo, ou, Deus amando o mundo.

A Bíblia é valiosa.

As Escrituras são sagradas. Não há como duvidar que tenham sido inspiradas pelo próprio Deus.

E aí está o problema!

É difícil, senão impossível, extrair a inspiração Divina de seja lá o que for nesse mundão dEle. Qual a boa obra literária que não trará em si as contradições humanas, sua alma, seu espírito e, por que não dizer, também a revelação da fé e do Divino?

Qual obra de arte ou científica, qual invento técnico que não deixará transparecer vestígios, ou até mesmo grandes marcas, do poder criador Divino, da potente mão de Deus?

Não nos atesta a teologia que Deus o onipresente e está em todo lugar? Que nEle, por Ele, e para Ele são todas as coisas?

É bem verdade, sabemos disso muito bem, que Deus não está em tudo. Há por aí muita coisa estranha, maligna e diabólica.

O mal está até mesmo lá - e por que não dizer, principalmente lá - nos lugares onde se venera o Sagrado, o Divino e, se adora as Escrituras.

Nem sempre é fácil, e só um louco diria o contrário, a tarefa de “examinar tudo e reter o que é bom”.

E… se nesse “tudo” a própria Bíblia estiver inclusa … e se, um exame mais acurado revelar que ela contém erros, como afirma Barth, e por errada, carecer também de um exame mais acurado?

Ou pior: E se, mesmo que inerrante e limpa, for por homens errantes e impuros, como foram errantes e impuros todos os santos, mal interpretada?

Terrível coisa é cair na [potente] mão do Deus vivo!

2 comentários:

Rubinho Osório disse...

Conclusão: a única posição possível é a da dúvida sincera e genuína: "não sei!!!" ou "tenho opinião, mas não tenho certeza!!!"

Janete Cardoso disse...

Às vezes penso que se Deus permitiu que a corrupção entrasse na Igreja, que houvessem tantos erros de interpretação e divisões, por que não permitiria que ao escolher o Canon, o homem errasse também, incluindo e excluindo livros e informações?

Hoje tudo está consumado em Cristo, mas a Igreja continua dando à sombra do Velho Testamento, o mesmo peso da nova aliança que nos inclui e ensina doutrina judaica aos que seguem à Jesus. Verdadeiramente cegos guiando cegos, posto que trocaram a Luz pela sombra.

Penso que a sequência de fatos é para instrução, mas a Bíblia se lê com o espírito e com a ajuda do Espírito. Só assim conseguimos discernir o que é proveitoso no meio de tanta religiosidade.

Ler a Bíblia como manual de instrução, só faz de nós pessoas que vomitam versículos. Mas a essência deles, só se extrai digerindo.

Abraço :)