Páginas

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

O problema da graça barata

O problema da graça barata foi tratado por Bonhoeffer em seu livro Discipulado. Eu resumiria que é uma forma de seguir a Cristo sem nenhum compromisso. E classificaria como uma forma de “graça barata” uma teologia muito liberal que, por exemplo, negue a ressurreição de Cristo.

Na Bíblia vemos Judas tratando desse assunto, ao condenar aqueles que “convertem em dissolução a graça de Deus, e negam a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo” - Jd 1:4. Eu arriscaria dizer ainda que Judas Escariotes foi um que barateou a graça. Por quê?

Porque a pessoa que “segue” a Cristo sem compromisso está na verdade buscando satisfazer primordialmente seus próprios interesses. Quer pegar carona na igreja, quer tirar vantagens. E foi isso que Judas fez. Será que não haveria hoje muitos agindo assim? Como ao longo destes dois milênios não houve?

Como lidar com essas pessoas?

Sempre me admiro com a maneira como Jesus tratou com Judas Escariotes. Ele não o excluiu. Ele foi até mesmo quem o escolheu para ser um dos doze. Jesus até mesmo deixou que ele cuidasse das finanças. Jesus o tolerou, no melhor sentido dessa palavra. E sofreu o dano, pois Judas, seu amigo, o traiu. Tenho certeza que o Senhor o escolheu com o mesmo objetivo que escolheu os outros 11 e não já com uma finalidade de ser um "Judas"!

Assim, com a mesma tolerância, devemos admitir aqueles que dentro das igrejas tem barateado a graça. Na epístola de Judas há três dicas para agirmos nessa situação:

  1. Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus – ou seja, nossa atenção está voltada para nós mesmos e não para o outro. Deus é o Juiz, deles e nosso.
  2. E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento – alguns podem realmente se converterem e mudar de atitude. Isso exige uma dose extra de misericórdia e discernimento.
  3. E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo – se alguns estiverem dispostos a mudar é nosso papel estender-lhes a mão.

Veremos, porém, no próximo ensaio que a atitude em relação aos legalistas é completamente diferente.

2 comentários:

Juber Donizete Gonçalves disse...

Roger,

O modo como Jesus tratou Judas é muito diferente da forma como a igreja trata a questão de disciplina entre seus membros. Parabéns pela postagem.

Abraço.

Georgia disse...

Oi Roger, tudo bem?

Adorei o texto. Até porque me enquadrei em algumas situacoes. procuro muitas das vezes o meu próprio innteresse e luto por eles; Sou traidora, quando muitas das vezes gostaria de agir diferente; já deixei Jesus na mao com certeza quando Ele precisou de mim. Tenho certeza que muitas das vezes vivi essa graca barata e vou utilizar essa graca barata agora em meu favor: "Deus tem me amado de tal maneira que deu o Filho por mim e eu creio e eu o aceitei."
Mas uma coisa Ele sabe que eu nao sou: hipócrita de achar que nunca vive uma graca barata...

Um ótimo texto, para uma boa reflexao.

Bom fim de semana