Páginas

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Conheceria Deus o futuro? (parte 1)

pl040011

Claro! Claro que não conhece. Claro que sim. Ou seja, como tudo nessa vida, depende… É relativo.

Mas a relatividade desta resposta é mais simples que parece:

  • Deus não pode conhecer o futuro que não exista;
  • Deus só conhece o futuro que Ele determina.

A verdade nua e crua é que Deus não pode conhecer toda a história futura da humanidade nem de indivíduos, a não ser nos aspectos limitados que Ele mesmo já determinou.

Mas Deus não determinou tudo. No fundo, Ele determinou poucas coisas, comparado àquilo que nós mesmos temos condições (e a obrigação) de determinar. O sôfrego dilema da escolha caiu em nossas próprias mãos.

“Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar”

Deus opera. Ele vive e está agindo no mundo. Como?

Deus opera em vós. Embora o Espírito goze aparentemente de liberdade e sopre como um vento sem fronteiras, Ele tem a sua morada em vocês. E em vocês Ele está a agir na história de indivíduos e de povos, e em toda a humanidade.

“Em ti todas as nações da terra serão benditas”.

Ele quer. Ele efetua. Em vocês, através de vocês.

Há porém (como sempre) um “porém”:

“…com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar…”

Se queremos o bem, se temos um belo alvo já bem determinado, como então alcançá-lo?

Essa contradição das Santas Escrituras nos empurra para nossas próprias contradições. Será que realmente queremos? Embora a questão aqui não seja exatamente essa – pode-se ter na força de vontade a raiz do problema. Mas na verdade, existem barreiras, bloqueios que ainda nos impedem de chegar lá. Quais? Como removê-los? Será que conseguiremos?

Será que não estaria lutando com uma limitação imposta (já determinada) pelo próprio Deus? A questão aqui também não é exatamente essa, pois estamos falando de querer o bem. Mas obviamente nem todo querer nosso é tão celestial assim ou nem todo querer celestial é tão determinista e imutável assim como alguns pregam.

O grande problema com o qual temos que nos agonizar é que o querer está plenamente em ordem, mas a droga do efetuar não se efetua! Por que?

Se não se efetua agora é então somente uma questão de tempo, algo para o futuro. Será mesmo? Mas afinal quem conheceria o futuro?

8 comentários:

Rubinho Osório disse...

Roger,
Devemos ter cuidado para não encaixotar Deus. Frases tipo "Deus não pode..." são capciosas. É preciso cuidado...
Outra: Deus opera. Em nós ("vós"), mas não somente. Opera também. Lembre-se que até mesmo as "pedras clamarão".

Roger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Roger disse...

Amigo Rubinho,

bom comentário! As questões levantadas são importantes. Será que elas me renderão mais uma postagem sobre o assunto?
Acho que sim.

bete disse...

Olha amigo Roger,tem muita gente boa linkada aqui, gente grande, por assim dizer, que poderia opinar legal num texto como esse. Eu me considero pequena para tal. Mas é uma pena que esse povo, sei lá...sabe...tipo assim...

O comentário do Rubinho foi muito bem vindo a meu ver. O bom Rubinho, sempre ajudando a gente a pensar, acho que é pra isso mesmo que a gente monta um blogue, e a gente se sente feliz quando o povo reage assim.

Roger disse...

O Rubinho nos leva sempre a pensar um pouquinho mais, desde o primeiro post deste Blog.

Fabio disse...

Olá Roger!

Cheguei ao Blog através do texto publicado no site da Ultimato. Lá diz "Conheceria Deus o futuro? (Parte 1)".
Isso quer dizer que há uma Parte 2 ou ainda está para sair?

Obrigado!!

Roger disse...

Oi Fábio,

a parte 2 será a postagem acima!

Clóvis disse...

Roger,

É sempre um prazer visitar seu blog e receber suas visitas. O que não significa que concordamos aqui ou lá sempre. Neste caso, discordamos totalmente.

A afirmação de que "Deus não pode conhecer o futuro que não existe" merece uma análise que não tenho tempo nem preparo para fazer, sobre a natureza do tempo e aos atributos de Deus, especificamente da onisciência.

"Deus não pode conhecer", como já comentado por alguém, é uma afirmação temerária. Pois se Deus não pode conhecer o futuro, que poder teria para determiná-lo?

Além disso, queda não provado que o futuro não existe. É certo que não existe para nós e por isso não podemos conhece-lo, exceto naquilo que Deus nos revela. Mas para que o futuro não exista para Deus requer que Ele seja puxado para dentro do tempo. E será que assim é?

Em que pese a atratividade da tese neoteísta e o prazer que nos dá pensar de nós mesmos como os timoneiros de nossa história, Deus não apenas conhece, mas conhece porque determinou tudo o que acontece.

Em Cristo,

Clóvis