Páginas

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Que é, pois, o tempo?

“Se ninguém me pergunta, eu sei; mas se quiser explicar a quem indaga, já não sei. Contudo, afirmo com certeza e sei que, se nada passasse, não haveria tempo passado; que se não houvesse os acontecimentos, não haveria tempo futuro; e que se nada existisse agora, não haveria tempo presente. Como então podem existir esses dois tempos, o passado e o futuro, se o passado já não existe e se o futuro ainda não chegou? Quanto ao presente, se continuasse sempre presente e não passasse ao pretérito, não seria tempo, mas eternidade. Portanto, se o presente, para ser tempo, deve tornar-se passado, como podemos afirmar que existe, se sua razão de ser é aquela pela qual deixará de existir? Por isso, o que nos permite afirmar que o tempo existe é a sua tendência para não existir.”

santo Agostinho, em suas Confissões

2 comentários:

Juber Donizete Gonçalves disse...

Roger,

Agostinho foi muito avançado em seu pensamento. Essa declaração dele com relação ao tempo, ele se antecipa aos próprios estudos da Física Quântica.

Abraço.

Rubinho Osório disse...

Roger,
Estou mais pra James Taylor em "The Secret of Life": o tempo não é real, é apenas um ponto de vista, depende de como cada um o sente.
Recomendo a leitura de "Sonhos de Einstein" de Alan Lightman. Muito interessante!