Páginas

sábado, 9 de janeiro de 2010

Como estragar não só uma parábola mas a Bíblia toda

u14034778[1] 1151091[1] Diante da manifestação sombria de alguns calvinista no meu último post me vejo deliciosamente forçado (para não dizer prédestinado) a abordar o significado da parábola do bom samaritano que é tão comumente mal entendida, sendo assim um tema não menos sombrio [note que sombra pode ser sinônimo de refrigério]. Se não vejamos:

Socorrer o próximo seria aparentemente o tema dessa parábola que é uma das mais belas. Mas não é. Teremos sempre que rever isso, a parábola não fala de socorrer mas de ser socorrido pelo próximo, leia mais uma vez ou duas com mais atenção.

As leis da hermenêutica me obrigam a considerar os modos ativos e passivos dos verbos ligados ao protagonista da palavra. Quem é afinal o protagonista da parábola?

Apesar do belo título que lhe deram, não é o bom samaritano, seu personagem principal, mas o homem que caiu nas mãos dos assaltantes. Alguns birram com o título pois acham que nem o samaritano nem o ladrão na cruz poderiam ser "bons". Quanto a isso não tenho problema nenhum! Eles foram boas pessoas, por mais absurdo, improvável e fora de moda que isso venha a parecer. Mas além da bondade eles tinham outra coisa em comum, ambos não passaram de coadjuvantes. O artista principal era outro - no caso da parábola, o homem caído.

Até aqui a parábola porém permanece (quase) intacta. Começa a se estragar, não só ela, mas toda as santas escrituras quando começamos a usá-la de forma indevida. (por isso abandonei minhas bíblias nos lugares mais sacros desta casa: biblioteca, criado mudo e banheiro).

O fato é que uma parábola tão PROFUNDA como esta NÃO TRATA de forma alguma, salve engano, do tema livre arbítrio e presciência. Daí, você observará brilhantemente e concordarei com você, O ABSURDO dos meus enxertos naquela obra de arte.

Para ser mais direto eu diria que Jesus, teve outras prioridades, a ficar debatendo "livre arbítrio e presciência" e muito menos calvinismo vs. arminianismo, prioridades como por exemplo: (socorrer) e ensinar ser socorrido pelo próximo e amá-lo. Tanto o Lou como quase todos os grutenses sabemos o inferno que é deixar-se socorrer. É bem mais fácil e óbvio socorrer [por mais absurdo, improvável e fora de moda que isso venha a parecer].

Mas isso não tira completamente o valor do debate teológico, de entender o que seja a presciência de Deus ou o livre arbítrio humano. Afinal o mundo não é feito só de Judeus, o que seria dos gregos? Eles também precisavam fazer algo após sua conversão. Então deixemos o cristianismo virar filosofia!

É bom também lembrarmos que Jesus não abordou tantas outras coisas que são para nós hoje tão fundamentais como, preservação ambiental, uso de drogas, adoração a Maria, homosexualismo, e até mesmo graça (essa palavra em si não é encontrada em seus lábios, João evangelista e Paulo é quem foram "inventá-la"), Absurdo? Também acho!

Então, que todo debate continue, a despeito de tudo o que nos ensina Jesus, afinal, essa não seria nem a primeira nem a última vez que deixaríamos de lado Suas prioridades...

9 comentários:

Janete Cardoso disse...

Sabe que gostei muito de novo? :D
Talvez o samaritano tenha sido o único alí que sabia que há o dia de socorrer e o dia de ser socorrido. Os outros só tinham a religião e suas poses.

Janete Cardoso disse...

Sabe que gostei muito de novo? :D
Talvez o samaritano tenha sido o único alí que sabia que há o dia de socorrer e o dia de ser socorrido. Os outros só tinham a religião e suas poses.

Clóvis disse...

Roger,

Eu já havia aprendido com você, que a parábola fala de ser socorrido, enão de socorrer. E alvez, afinal, a celeuma não passou de mal entendido. Pois, se agora compreendi direito, você não se propôs a resolver a controvérsia, mas demonstrá-la desnecessário ou pelo menos não prioritária. Independente disso, não o perdôo por enfear a parábola, rsrs

Quanto a importância dos temas predestinação, liberdade e tais, fica para outra hora.

Em Cristo,

Clóvis

Roger disse...

Grande Clóvis,

creio que em seu Blog, essa controvérsia toda tem um lugar reservado e até mesmo apropriado. Veja bem, vocês estarão baseados em conceitos e princípios mais denifidos e comuns, no que tange a Teologia (Sistemática).

Já nesse espaço nosso aqui, cuja a proposta é outra, os valores e conceitos destoam da Teologia (Sistemática), daí o assombro de seus amigos que não estando acostumados (se é que poderiam um dia se acostumar) com nossa proposta se horrorizaram, com a falta desses limites conceituais.

Você que já nos conhece a algum tempo foi mais generoso.

Saudações,

Roger

Janete Cardoso disse...

Quando perceberem que Deus é maior que os conceitos humanos, entenderão que essa discussão toda, é apenas uma questão de ponto de vista dentro do tempo, que não contém Deus.

Daí verão que não precisam ser tão rígidos dentro da vertente que defendem. Isso você demonstrou bem quando "enfeiando" a parábola, mostrou que o samaritano foi providência de Deus na vida do homem, mas ao mesmo tempo fez a escolha de ajudá-lo.

Gaby disse...

Tudo o que fazemos contem a Deus. Ñ faz sentido chegar -alguma vez?- a perceber que Deus é maior que os conceitos se ficaremos calados. Deus ñ é um emudecedor

Rubinho Osório disse...

Tava tudo muito bem... quando você escreveu: "então deixemos o cristianismo virar filosofia!" E o mundo caiu!!!
Taí o cerne da questão. Deixamos o cristianismo virar filosofia de vida. E filosofia por filosofia, qualquer uma dá conversa de bar, joga-se fora!!!
É Roger, tá na hora de reconhecer de "deixamos de lado Suas prioridades..."
Que Deus tenha misericórdia de nós!!!

Anônimo disse...

O conhecimento da teologia ou da Filosofia te aproxima ou te afasta de Deus???

Esta deveria ser a principal questão!!!

Porque tentar entender o que é invisivel, no fundo não passa de conversa de "Loucos" e a palavra nos orienta a fugir destas convesas "debates".

Como voce mede a proximidade a Deus? Resposta: João 15:1-8

Como saber se estou no caminho certo (que não tem nada a ver com teologia ou filosofia): Jeremias 29:13-14

Vou citar uma tese que se auto explica cujo autor tem mais sabedoria do que todos nós e que deixa os filósofos como meros expectadores: João 14 (http://www.bibliaonline.com.br/acf/jo/14) - leia, é auto explicativo até na tradução original da biblia.

Procure saber o que são Atos de Justiça segundo a palavra de Deus e então com certeza, mesmo sem a filosofia humana você estará que está bem proximo daquele que deu a vida por você.

Abraço,
Luiz Campos

Anônimo disse...

- corrigindo...

Procure saber o que são Atos de Justiça segundo a palavra de Deus e então com certeza, mesmo sem a filosofia humana você SABERÁ que está bem proximo daquele que deu a vida por você.

Abraço,
Luiz Campos