Páginas

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Coração de leão

Imagem

Certamente não sou de forma alguma a pessoa mais indicada para dirigir-lhe palavras de reconhecimento, pois mal o conheço, somente leio alguns de seus textos e vi algumas de suas pregações ou pronunciamentos na Net.

De seus livros, li somente um e confesso que não me apaixonei logo de cara. Até enxerguei algumas máculas que me afastaram um pouco (normalmente sou mais crítico que gostaria de ser).

Também não concordaria com tudo que ele escreve, aprova ou desaprova publicamente em sua homepage ou twitter. Já escrevi aliás sobre isso referindo-me a outra pessoa, que ele, eu e vários outros estimamos muito.

Quando porém pude enxergar por trás de sua intelectualidade e ver um pouco do seu inquieto coração (tarefa fácil frente ao estilo e conteúdo de seus textos) fui capitulado.

É bom perceber que um bom teólogo além de um sagaz intelecto possui um vivo coração.

Tudo se deu em uma fase terrível de minha vida, onde minha vocação missionária e ministerial se via em xeque. Largara tudo (dentre outras coisas, uma vaga concursada no BDMG - Banco de Desenvolvimento do Estado de Minas Gerais) para me dedicar a obra e vim para Europa enviado como missionário.

Estava então casado a procura de emprego. Desde minha formatura como Administrador havia uns 10 anos que não exercia a profissão e 8 fora do Brasil. Com minha mãe doente terminal no Brasil, minha família precisando de ajuda lá, a melhor das opções que me restava era clara: "ó pátria amada, salve salve". Porém, dentro daquelas circunstâncias, minha esposa alemã (com passagem pela JOCUM) não queria arriscar no Brasil de jeito nenhum.

Esse era o drama. Não preciso dizer quantas noites e dias (visto que estava desempregado) não passei orando e lendo a Bíblia querendo ouvir a voz de Deus e saber qual era o plano e ver sua intervenção.

Num daqueles dias, após uma discussãozinha em casa (dessas que todo mundo conhece, entre marido e mulher em tempos de crise) resolvi sair para uma caminhada. E claro caminhava orando: Deus, o que você afinal quer? E não demorou muito em minha caminhada me choco com uma igreja, com um cartaz sobre uma palestra sobre o Brasil . Naquele dia a voz de Deus estava clara pra mim: Brasil, volte! (talvez era só aquela mania de Deus falar, "em breve", e na verdade vai demorar uns 40 anos…) Houve um ou outro texto na Bíblia, que lia em meus devocionais, que eram mais freqüentes naquela época, que deixavam clara a impressão: Volte!

Descobri, porém, que havia um "outro Deus", para usar a expressão que estava na moda naquela época. Deus simplesmente não era assim, como me ensinaram e eu teimava em crer.

Essa descoberta tenho que creditá-la em parte a esse coração corajoso, de leão, que ousou questionar pressupostos e vozes ameaçadoras de uma igreja hipócrita comprometida com outros interesses diversos daquele do Reino de Deus.

Não somente questionou como levantou a voz para pronunciar seus conceitos, certezas e incertezas. E pagou por isso…Mas me atingiu em cheio e fui beneficiado!

Comecei a entender que Deus não tinha um plano fechado (Brasil ou Europa) para minha vida. Para exagerar (talvez alguns entendam melhor assim), nem mesmo Deus sabia o que seria do meu futuro profissional ou missionário! Mas Ele era um Deus relacional, que sofria o presente comigo: na dor do desemprego, na dor da doença de mamãe, na dor dos temores de minha querida esposa, na dor da separação de meus familiares e amigos do Brasil, na distância de Minas, de Belo Horizonte…

Comecei a entender que o plano de Deus era de paz e não de dor. E o que acontecia não era em hipótese alguma plano d'Ele. E isso me consolou muito.

Como todos sabem estou aqui até hoje. E não por rebeldia, estou certo. Mas pela liberdade que Ele me dá e deu.

Foi muito bom, agradável e essencial conhecer essa nova faceta de Deus. Sem a qual Ele não seria perfeito amor. E isso devo a um pastor que mal conheço e ele mal a mim.

Contudo, que Deus continue o abençoando, dê muito anos de vida saúde e inspirações corajosas.

Feliz aniversário! (adiantado – afinal, alguma noção do futuro não só Ele, mas nós também temos!)

De pessoas (líderes) assim como você, o Brasil precisa muito.

4 comentários:

Rubinho Osório disse...

Afinal, Roger, quem é o cara???
Por outro lado, a tua caminhada - com porções de via crucis - é um grande consolo e inspiração pra gente, viu?

Roger disse...

Rubinho,
se você não sacou ainda clique no link do texto, "perfeito amor".
Abrçs

Professor Augusto disse...

Roger, acho das coisas mais lindas, úteis e comoventes da vida o depoimento que fazemos de nossas certezas e incertezas e o correto reconhecimento que manifestamos aos que nos ajudam nas encruzilhadas difíceis da vida. Hoje vc fez mais um gol de placa. Parabéns! Abs Augusto

Rubinho Osório disse...

Fui lá, e entendi!
Bela e merecida homenagem. Eu tb admiro muito o homem.
Valeu!