Páginas

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Pessoas são músicas

jp022005_235[1] Todos sabem que cada um tem seu próprio ritmo. Nem todos, porém, são capazes de perceber que temos também nossas próprias melodias.

Pessoas são músicas. Cada uma a seu estilo, umas lentas outras agitadas, outras altas, outra quietas.

É comum classificarmos os temperamentos em quatro grupos (fleumático, colérico, melancólico e sangüíneo) e ali analisarmos as pessoas em face da mistura dessas variáveis. Mas o ser humano é muito mais complexo e intangível do que isso.

Existem músicas alegres e músicas tristes. Outras são extremamente harmônicas, já outras desafinadas.

A maioria de nós não somos em nada originais. Somos cópias de fragmentos, recortes e colagens, variações do mesmo tom, ou sambas de uma nota só. Poucas vidas são uma sinfonia. Aliás, por sermos tão parecidos, nossa música só faz sentido quando inserida e ouvida em uma orquestra.

Contudo, faz-se necessário e vital, a música solo.

A questão afinal é, qual música "você" é?

Um comentário:

Rubinho Osório disse...

Temo ser um conjunto pouco melódico de sons agradáveis, porém dissonantes. O ritmo tem caído de allegro para moderato e continua diminuindo... mas já tive fugazes momentos majestáticos!