Páginas

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Céu e inferno

12403492[1] Sabemos exaustiva e deprimentemente que aqui não é o paraíso. Pais estrupam filhas, mães abortam por razões fúteis, milhões são impiedosamente oprimidos pela engrenagem sádica do capitalismo; velhos morrem solitários nos asilos. Isso sem mencionar as desgraças naturais como doenças e terremotos.

O mundo é injusto, o sistema, maligno; satanás dita sobre seu trono, contudo, aqui também não é o inferno. E sabemos disso insistente e afortunadamente muito bem.

Bebês nascem saudáveis e transformam-se em crianças e adolescente cheios de vida, força e graça. Milhões são capazes de ações generosas, de sacrifícios, lutam em hospitais, escolas e fábricas tendo muitas vezes como motivação maior, se não única, o benefício de seus amados ou até mesmo de desconhecidos. O sol brilha e revela-nos paisagens fantásticas, em florestas, montanhas e oceanos, ele se vai e o céu se escurece deixando transparecer bilhões de estrelas num espetáculo cósmico.

Às vezes os alçamos, os homens, ao céu existencial e os vemos triunfantes, como deuses. Às vezes os lançamos no inferno, como refugo da linha de produção do criador: depravação total.

Quão profundo e quão elevado é o céu e o inferno que habitam na alma humana!

Um comentário:

Descanso da Alma disse...

"Quão profundo e quão elevado é o céu e o inferno que habitam na alma humana!"

Realmente, pode-se criar imensas percepções do que seja cada um na alma humana.

Creio que a realidade é uma forma de visualizar o que seja cada um, nem céu, nem inferno, ao mesmo tempo que também é céu e inferno.

Paradoxo interessante.

Paz e bem