Páginas

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

De perseguidos a perseguidores

Em um dos diálogos com Neto* aqui no Teologia Livre surgiu (de minha parte) a seguinte questão:

"Tem os cristãos (pensemos só no Brasil) sofrido perseguição?"


Ao que Neto respondeu:


“Os verdadeiros, SIM. Mas no Brasil, a perseguição na gigante maioria é "apenas" não-física.”


Queria então aproveitar esse pano de fundo para lançar a Enquete que coloquei aqui ao lado em um Gadget.

Qual é a sua opnião sobre o assunto?
-----------------------------------------------------------------------------------------------------
Ao mesmo tempo me atrevo a discutir essa questão tão incômoda que surgiu no meio cristão (evangélico e católico) sobre a questão do aborto em tempo de eleições.

Não seria uma “perseguição não-física” todas as mentiras que “cristãos” inventaram contra Marina e Dilma em torno dessa questão?

E a união civil gay? Ainda que Dilma e Marina fossem abertamente a favor dessa questão, seria isso o fator decisório na escolha de um presidente da república?

Entendo até que a pessoa seja conservadora e queira que certos costumes não sejam relaxados pelo governo e prefira viver debaixo de um sistema legal rígido - de gente assim as igrejas (e religiões de todo o mundo) estão lotadas. Mas partir para acusações infundadas, inventar teorias terroristas de que Deus irá colocar o Brasil debaixo de juízo, me é muito suspeito…

Não estaríamos nós, os cristãos, invertendo os papéis e deixando nossa posição de, teórica e historicamente, perseguidos para assumirmos a, costumeira, de perseguidores?

Um comentário:

Felipe disse...

Nos primóridos, o governo romano perseguia cristãos, até que o quadro se invertesse, e se vê Constâncio II, filho de Constantino, perseguindo pagãos em nome do "cristianismo".
Na Reforma, protestantes são perseguidos pela Igreja. Mas onde há mais protestantes que católicos romanos,são estes últimos que sofrem; católicos são executados na Inglaterra protestante.
Nas treze colônias, vemos os puritanos, tão perseguidos pela Igreja da Inglaterra, perseguirem aos protestantes de diferentes confissões.
Nada pior do que o rótulo de "injuriado pelos maus", "perseguido por ser os do bem", tão ostensivamente celebrados entre os crentes hodiernos. Por que, amanhã, dê poder para um deles, para ver o que acontece.

Abraços flaternos (e perdão pela extenção do comentário, que se tornou desabafo xD)