Páginas

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

A primeira vez em uma mesquita

image Visitei ontem uma mesquita. Minha primeira vez. Fui convidado por um conhecido mulçumano.

Observei que havia muito mais pessoas lá, do que no culto da igreja luterana que havia visitado pela manhã. O que não é para se estranhar. Aquela comunidade, que é composta por estrangeiros, como eu, funciona não somente como lugar de reunião religiosa, mas como local de encontro e comunhão de patrícios, no caso, turcos. Se compararmos a população de turcos que vive em Munique, na verdade, havia pouca gente lá.

Fiquei tentando desligar a tecla do preconceito e olhá-los como Deus os olha, pelas lentes do amor. Vi que eles têm uma devoção e disciplina invejável. Meu amigo me explicava que o ramadã que tem hoje seu último dia, é adiantado a cada ano em 10 dias. E quando é feito, então, no verão é muito difícil, principalmente por causa da sede, pois os dias são mais longos e conseqüentemene também o jejum de comida e bebida que vai até o por do sol.

Meu conhecido, não querendo me constranger, enfatizou que eu não precisaria participar do ritual de oração. Expliquei pra ele que fazia questão de participar: “Há um só Deus!” disse, e ele riu e completou, "eu sei". (Até onde sei Alá é o vocábulo árabe para Deus).

Já faz um bom tempo que planejava ir a uma mesquita e não sabia como, onde. O Yunus ficou feliz que eu logo atendi ao convite dele, e não cansava de me perguntar por que eu tinha tanto interesse. Não expliquei pra ele que vim como missionário para a Alemanha. Também não falei que enquanto orava pedia para Jesus se revelar a Eles. Também não falei que era por uma simples questão de consciência relativa à máxima de Jesus, fazei aos outros o que você quer que eles façam a você - como ficaria feliz se ele viesse um dia ao nosso culto (se bem que já está suficientemente difícil convencer a mim mesmo de “assisti-lo”). Então limitei-me a explicar que onde nasci, em BH, nunca vi uma mesquita e que depois dos 30 anos as novidades na vida são poucas, e que estava ali experimentando algo bem novo! Teria algo para contar para velhos companheiros. Também falei que através da mídia nos é passada uma imagem totalmente distorcida do que é o islã, e que muitos falam sem conhecimento de causa. E eu queria (como bom pesquisador que já fui) ver com meus próprios olhos.

imageClaro que a Mesquita que visitei não foi tão bonita como as das fotos. O que meu amigo ressaltou várias vezes. Só lhe assegurei que arquitetura é de fato bom, mas o que interessa mesmo são as pessoas dentro dentro dos prédios.

Foi uma experiência agradável. Eu e minha mulher já combinamos como a família de Yunus para estar nos encontrando mais vezes. E eu quero voltar à mesquita outras vezes. Afinal Deus continua buscando verdadeiros adoradores, que o adorem em Espírito e em verdade.

2 comentários:

Humberto Ramos disse...

Que legal, gostaria de ter tal experiência. Lá em Cuiabá tem uma mesquita, e como vou pra lá quase toda semana, estou ansioso por conhecer a mesquita... só não sei se qualquer um pode ir lá visitar!

Abração Roger, esteja em paz!

Roger disse...

Vai lá, Beto, eles são receptivos. Qualquer um pode ir. Se informe quando eles tem reunião. Depois conte-nos a experiência.