Páginas

quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

As pedras sambam

vmo0770 por Alysson Amorim

As recentes alertas do Paulo Brabo, fulcradas em Michel Foucault e Ivan Illich, merecem a melhor atenção dos nossos ouvidos: a Igreja, depois de um tempo, apodrecida pelo processo de institucionalização, torna-se contraproducente, de uma "contraprodutividade paradoxal", no dizer de Illich, porquanto não almejada pelos seus idealizadores.
De uma comunidade saudável, onde há espaço garantido para afirmação da personalidade e vazão da criatividade, é levada ao ponto antípoda de seu projeto inicial, vendo atrofiada sua vocação de espaço emancipador e hipertrofiada as relações de poder que negam o sujeito, objetivando-o.
A graça é assassinada em nome da instituição: a confiança é depositada no objetivo, no quantitativo e na uniformidade, no que resulta a morte da personalidade e a mecanização do homem, no que resulta também na postura frequente de negação da arte na liturgia, ou da redução desta ao utilitário - kitsch. A arte situa-se na esfera da subjetividade, da autonomia, do simbólico, da espontaneidade, das transformações internas, em suma, na esfera da Graça. Quando é negada ou manipulada denuncia a presença dominadora da técnica que escraviza o homem. Eis a crítica situação da Igreja.
Suspeito que as pedras estão clamando ao som do samba que come solto no bar da Esquina: enquanto isso a comunidade pia se reúne para traçar as estratégias que salvarão o mundo, que salvarão estes sambistas inveterados.

Extraído de Fraternus 2007

5 comentários:

Roger disse...

Alysson,

este texto é formidável. Será que nessa festa de reveilon ou até mesmo em 2009 o samba será dançado dentro ou fora da igreja?

Um feliz ano novo!

Roger

Ednaldo disse...

Um Feliz 2009 a todos do Teologia-Livre, em especial ao Roger.

Que Deus os abençoe muito mais neste novo ano.

Em Cristo,

Ednaldo.

PS. Roger, novas "brigas" só em 2009. :D

Clóvis disse...

Em 2008 tive o privilégio de contar com suas visitas, comentários, críticas e sugestões ao Cinco Solas. Sou grato a Deus por isso e queria que você soubesse disso.

Eu também tive o privilégio de receber seus emails, interagir com você em fóruns, ler e participar de seu blog e em tudo isso fui grandemente abençoado. Por isso louvo a Deus por sua vida.

Nessa interação, muitas vezes concordamos, outras tanto discordamos e em outras mais discordamos e concordamos. Mas o que resultou para mim não foi apenas o calor da convivência humana, ainda que virtual, mas a luz de novos conhecimentos, novas perspectivas, que moldaram a minha visão de mundo, consolidando às vezes o que eu já pensava ou me levando a revisar meu ponto de vista.

Sendo assim, o que eu posso desejar para mim em 2009? Apenas que pessoas maravilhosas como você continuem comigo nesta curta mas prazerosa jornada para a glória.

Para você, desejo todas as bênçãos de Deus. Que a boa vontade de Deus se cumpra na sua vida e que Sua vida esteja alinhada com a vontade dEle.

Feliz 2009!

Lou Mello disse...

"Suspeito que as pedras estão clamando ao som do samba que come solto no bar da Esquina: enquanto isso a comunidade pia se reúne para traçar as estratégias que salvarão o mundo, que salvarão estes sambistas inveterados."

Queria saber onde fica essa esquina... para me juntar aos bons...

Meu, feliz 2009 para você e sua família. Se, aparentemente, Deus não respondeu suas orações, respondidas estão. Alguém citou o C. S. Lewis falando disso.

Alysson Amorim disse...

Tenho que admitir, Lou, que ainda não encontrei essa esquina senão no meu delírio.

De qualquer forma, Roger, vamos abrir o ano nos consolando com o samba. Como nos canta um João Gilberto, "Tristeza é senhora... mas alguma coisa acontece no quando agora em mim, cantando eu mando a tristeza embora..."

Um abraço.