Páginas

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Teologia - mapeando novos mares

“…um homem que já viu o Atlântico da praia e depois olha um mapa do Atlântico também está trocando a coisa real pela menos real: troca as ondas de verdade por um pedaço de papel colorido […] mas se você quer ir para algum lugar, o mapa é absolutamente necessário. Enquanto você se contentar com caminhadas à beira da praia, seus vislumbres serão mais divertidos que o exame do mapa; mas […] você jamais alcançará o Novo Mundo simplesmente estudando o Atlântico dessa maneira, e [...] também não chegará a lugar algum se ficar examinando os mapas sem fazer-se ao mar. E, se fizer-se ao mar sem um mapa, não estará seguro.” - C. S. Lewis em Cristianismo Puro e Simples

Antes de ler esta bela parábola de C. S. Lewis confesso que eu pensava como um certo pastor meu que arrogava o direito de extinguir a Teologia pelo simples fato de não existir na Bíblia tal termo.

Hoje, obviamente, penso diferente. Valorizo com uma boa pitada de santa inveja aqueles colaboradores nossos que tiveram a ousadia de adentrar as portas de um seminário teológico. Esses, são bons conhecedores da cartografia disponível na cátedra.

Houve uma época porém em que nem todos os mapas haviam sido desenhados e nem todos os mares explorados. Será que já superamos essa fase?

Assim, para dar continuidade à nossa conversa em 2009 tomei a liberdade de remover os marcadores e fixar 13 categorias relativas a cada colaborador. Outros marcadores estão ainda para serem fixados na medida que nossa conversa for nos levando rumo ao desconhecido.

E esta é a ironia: Para se aventurar em novos mares, velhos mapas não nos ajudarão muito.

Em 2009 por uma Teologia livre, em busca de novas fronteiras!

3 comentários:

Rubinho Osório disse...

Esse é o atrativo de ser pioneiro: não há mapas, por isso, não há caminhos errados. Mas há de ter coragem!!!

Rubinho Osório disse...

Em tempo: gostei do cabeçalho novo...

Roger disse...

Rubinho,
de certa forma pensei em você ao trabalhar o tema desse novo cabeçalho.

Coragem, esta é a virtude. Bem lembrado!

Forte abraço e feliz 200inove!