Páginas

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

BEM-AVENTURANÇAS - OS QUE CHORAM

Jesus começa a sua pregação para aquela multidão reunida no monte, em torno dEle, apontando situações humanas comuns que caracterizam a caminhada da humanidade ou situações de dor e sofrimento e o tipo de conseqüência que cada situação poderia produzir. Ele como que sensibiliza e prepara o espírito e o coração de seus ouvintes para tudo o mais que Ele iria apresentar. Fala da pureza, da dor e do sofrimento, das perseguições e do prêmio guardado por Deus aos que são fiéis à sua palavra.

HOJE EU, MINHA FAMÍLIA E NOSSOS AMIGOS BUSCAMOS A CONSOLAÇÃO NAS PALAVRAS DE JESUS E O Sermão da Montanha nos inclui no meio dos que CHORAM:

Bem-aventurados os que choram, Porque serão consolados!

Não existe na Bíblia nenhuma passagem que fala que Jesus estava sorrindo, mas há registro de que chorou algumas vezes. Uma delas foi junto de Marta e Maria, diante do túmulo de seu amigo Lázaro. A dor, o sofrimento fazem parte da caminhada dos filhos de Deus aqui na terra. Aqueles que desejam seguir as pegadas de Jesus devem tomar a sua cruz e acompanhá-Lo pois ele disse que estreita é a porta de entrada no Paraíso. Só no céu não haverá mais dor, choro e sofrimento. Aqui estaremos sempre alternando alegria e sofrimento, até a partida definitiva para nossa mansão celeste: a casa do Pai.

01. Análise( Por que e para que)

A dor e o sofrimento nos acordam para as verdades eternas, para a prática do bem, para o que é correto aos olhos de Deus, para nos lembrar a nossa caminhada para o Reino Definitivo e nos ajudam a corrigir nossas imperfeições para alcançar o perdão e a graça de Deus.
São Paulo nos ensina que quando Deus nos corrige é " para sermos participantes da sua santidade "
E mais ainda: "E, na verdade, toda a correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas depois produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela ".

02. Exemplo Bíblico »JÓ [36]


Na história de Jô, por meio da fala de Eliú, podemos compreender o sentido da dor e do sofrimento para correção dos filhos de Deus.
Assim ele nos fala:

Eis que Deus é mui poderoso, contudo a ninguém despreza; grande é no poder de entendimento.
Ele não preserva a vida do ímpio, mas faz justiça aos aflitos.
Do justo não aparta os seus olhos; antes com os reis no trono os faz sentar para sempre, e assim são exaltados.
E se estão presos em grilhões, e amarrados com cordas de aflição, então lhes faz saber a obra deles, e as suas transgressões, porquanto se têm portado com soberba.
E abre-lhes o ouvido para a instrução, e ordena que se convertam da iniqüidade.
Se o ouvirem, e o servirem, acabarão seus dias em prosperidade, e os
seus anos em delícias.
Mas se não o ouvirem, à espada serão passados, e expirarão sem conhecimento.
Assim os ímpios de coração amontoam, a sua ira; e quando Deus os põe em grilhões, não clamam por socorro.
Eles morrem na mocidade, e a sua vida perece entre as prostitutas.
Ao aflito livra por meio da sua aflição, e por meio da opressão lhe abre os ouvidos.
Assim também quer induzir-te da angústia para um lugar espaçoso, em que não há aperto; e as iguarias da tua mesa serão cheias de gordura.
Mas tu estás cheio do juízo do ímpio; o juízo e a justiça tomam conta de ti.
Cuida, pois, para que a ira não te induza a escarnecer, nem te desvie a grandeza do resgate.
Prevalecerá o teu clamor, ou todas as forças da tua fortaleza, para que não estejas em aperto?
Não suspires pela noite, em que os povos sejam tomados do seu lugar.
Guarda-te, e não declines para a iniqüidade; porquanto isso escolheste antes que a aflição.

03. Situações de Vida ( Exemplos e Testemunhos) - Aplicação

Sofre alguém dentre vós um contratempo?
Recorra à oração. A oração da fé salvará o doente e o Senhor o porá de pé ; e se tiver cometido pecados, estes serão perdoados...
O Senhor é misericordioso e compassivo....
Orai uns pelos outros para que sejais curados. ( Tiago 5, 13-16 )

Um comentário:

Roger disse...

Oi professor Augusto,

parabéns pelo texto e pelo novo Blog!

Sobre as Bem Aventuranças, gosto muito da seqüência lógica de Stott que observa que os que choram estão logo após os pobres e antes dos mansos.

Para ele (Stott) "Cristo não se refere à tristeza do luto, mas à tristeza do arrependimento. Uma coisa é ser espiritualmente pobre e reconhecê-lo; outra é entristecer-se e chorar por causa disto. Ou, numa linguagem mais teológica, confissão é uma coisa, contrição é outra. (...) a mansidão denota uma atitude humilde e gentil para com os outros, determinada por [essa] estimativa correta de si mesmo."

Abraços e aguardamos mais,

Roger