Páginas

domingo, 28 de dezembro de 2008

O ateu que (salvo engano) há em nós

Era uma vez quando as fadas e príncipes existiam, quando os anjos pisavama a terra, quando armários abriam mundos mágicos e quando a Bacia das Almas estava aberta para comentários.

Se nesta minha postagem de hoje ou na de ontem te restou ainda alguma dúvida da originalidade do título, quero aqui acabar com todas as suas ilusões e relembrar um fato ocorrido em 09 DE AGOSTO DE 2007, que Brabo entitulou de “O ateu que (salvo engano) existe em mim”. Fato que resultou em nada menos de 74 comentários encerrados com o veredito brabiano “Quanto mais rezo mais crente me aparece. Está fechada esta barraquinha”. Ponto final.

Trago aqui esse assombração para recordar que foi nessa época que me converti para o mundo então bem mais misterioso da Blogsfera. Pouco tempo depois em 05.09.2007 estava dando minha primeira cartada com “Vergonha e honra evangélico-brasileira”.

Não demorou muito para eu descobrir alguns dos principais atores envolvidos naqueles 74 comentários. Alguns dos quais ainda hoje vivem. Mas a descoberta maior foi da pré-história recheadas de batalhas envolvidas na conquista do espaço cibernético. De um lado Ed René - que perdeu parte de sua aura quando Lou tornou público que dividia o sanduiche de mortadela com o cara na época do recreio em um seminário na capital de São Paulo - e Gondim, permanecendo como um dos intocáveis, que foi perseguido pela ala conservadora, tornando assim sua aura mais brilhante e nunca esteve aberto para comentários pebleus plebeus. E P.Purim que provocou o pai e recebeu a resposta do filho numa guerra com propósitos.

Os propósitos… e toda uma camada de verniz determinista foi sendo removida de minha vida espiritual como resultado dessa descoberta. Oxigênio novo começou a ser enjetado a partir de uma nova perspectiva teológica relacional. O que tem me feito muito bem.

No outro lado do campo de batalha estavam gente como Nicodemus, e os outros dois Têmporas, Norma e Nagel (outro conservador foi um tal de Júlio Severo que tomou uma catracada de C. Fábio que fez meu PC ficar vermelho de vergonha. Mas ambos permaneceram à margem das verdadeiras batalhas travadas na blogsfera intelectual evangélica brasileira).

Passada esta carneficina canificina virtual de 2007 e da descoberta do “outro Deus” e toda polêmica que trouxe, pessoas então como Pavarini, Lou e Volney passaram a dar o tom na Blogsfera num contato mais próximo e dinâmico, segundo o meu humilde ponto de vista.

Juntamente com eles outros como Rubinho, Alice e Geórgia e mais alguns seguiram uma linha mais light, de um Blog cristão, de cristãos com seus Blogs com a tônica original (fazendo o Blog funcionar como uma espécie de “diário”). Isso faz com que o contato tão virtual, se tornasse tão mais pessoal e menos “piedoso”.

Assim tendo como referência esse Bairro Nobre, consigo encontrar outros indivíduos no ambiente institucionalizado -"Isso é mais ou menos o que Cristo fez, no seu contexto", disse-me agora o Alysson, "sua relação com Torá e as instituições foi subversiva: é o sábado que deve servir ao homem". Nesse sentido me sinto bem servido.

E como nós, igreja, precisamos disso hoje…

Viveríamos felizes para sempre.

10 comentários:

bete disse...

A blogosfera foi feita para servir o homem e não o homem para servir a blogosfera.

Lou Mello disse...

Não sou inimigo do Ed. Acho que se o encontrasse hoje, lhe daria um bom abraço. Algumas posturas são criticáveis e devem servir para balizar a senda de cada um. Me pergunto sempre se não invejo meu ex-colega de seminário. Às vezes respondo sim.
Creio haver um certo ateísmo em nós, especialmente quando o Deus que idealizamos nos escapa ao controle.
Bom post, melhor ainda por sair nesses dias tão pobres de bons textos na blogosfera.

Rubinho Osório disse...

Foi uma longa e divertida jornada até aqui, não foi?
Apenas um retoque: meu blog não é "cristão". É "um" blog e seu autor, sim, é cristão.
No mais, sejamos felizes em 2000inove!!!

Roger disse...

É amiga Bete... por isso meu alvo a partir do ano que vem é voltar a um rítimo semanal e não diário como tem sido. Antes que eu me vicie nisso!!!

Roger disse...

Lou,
Uma das minhas grandes frustrações e não ter vivido a fase do Blog deles "outro deus"...
Sempre que vou lá no Galiléia buscar alguma coisa (o que tem acontecido raramente) encontro algo rico.
O fato é que tenho primado por relacionamentos de 2 vias. Supro minha demanda com o Brabo, vez por outra mandando-lhe um E-mail que sempre volta com respostas ricas também.

Roger disse...

Rubinho,
teremos ainda mais aventuras pela frente. Confio na capacidade criativa e na maluquice desses sete e da núvem que os cercam.
Feliz 2009 pra ti também.

Alysson Amorim disse...

Roger,

Disse-o em particular e agora faço-o em público: admiro bastante essa proposta agregadora que você abraçou, primeiro com o Fraternus e agora com o Teologia Livre.

Meus aplausos.

Roger disse...

Alysson,

obrigado pela sua admiração que é tão recíproca quanto maior de minha parte, principalmente devido ao seu talento erudito e literário, raro num rebanho de gente simples e de valor.
Foi bom você ter me lembrado do caráter democrático do Fraternus que apartir de 2009 será retomado com a senha para visitantes.
Abrçs,
Roger

Volney Faustini disse...

Roger

Estou atrasado aqui ... mas creio que ainda em tempo de agradecer pela menção!

O Alyson disse bem. Vc é agregador. E um persistente e bom irmão - exemplar em sua serenidade e postura. Não só por aqui mas nos seus comentários 'off shore'.

Já mais do que nunca a gente percebe que a verdadeira igreja vai passando (progressivamente - he he) para o virtual.

É mais fraterna ;) - e verdadeira.

E sim ... já estamos a viver, felizes para sempre e para a eternidade!!!!

Roger disse...

Volney,

que bom tê-lo você aqui novamente.

Quanto aos predicativos, como disse no post, tenho meus referenciais.

Fortíssimo abraço, manão,

Roger