Páginas

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Evangólico ou Catélico?

x17481783[1] Que bom não ter mais que me posicionar entre esses dois pequenos mundos. O cristianismo é bem maior do que isso!

De forma alguma, nem pensar, quero agora cuspir no prato que comi, me fortaleci e quase fui intoxicado. A mesa das instituições cristãs formais é farta e dela me servi bem, até mesmo porque nossa cultura nos força a isso. As frustrações que temos com a "igreja" (no pior sentido dessa palavra) são as mesmas, em essência, que temos com qualquer das demais instituições sérias desse mundo, como escolas, hospitais, governos, clubes de futebol, repartições públicas e empresas de negócio. Tenho escrito sobre isso há algum tempo e não me cansarei de bater nessa tecla: o formalismo frio anula a pessoa, a pessoalidade, o indivíduo - enfim.

Por isso choramingar que estou "decepcionado com a igreja" é cair no lugar comum dos mais comuns. Afinal todo mundo está decepcionado com todo mundo: a mulher com o marido, o marido com a mulher, o pai com o filho, o filho com o pai, o povo está decepcionado com o Lula, com a Merkel, e o governo com seu povo, o empregado, com o patrão e o patrão, com o empregado, todo mundo está decepcionado com alguém e o Philip Yancey está até "Decepcionado com Deus"! E Deus? Bom… pelo que me consta, num de seus acessos ele estalou os dedos,  mandou um dilúvio e quase acabou com tudo!

Todos sabemos que falta integridade e efetividade.

Tenho questionado muito (minha) nossa integridade e efetividade como (cristão) igreja. Bem da verdade que se fôssemos íntegros seríamos automaticamente efetivos. Por isso no momento não estou diretamente ligado a nada, a nenhuma igreja. Por mais contraditório que isso possa parecer, sei que Deus mesmo me direcionou assim. Onde isso vai dar? Não sei. Quando ou se eu voltarei para uma igreja institucional... também não sei. Provavelmente sim, desde que eu ache um grupo adequado e perceba que há mais integridade e efetividade no cumprimento de (meu) nosso chamado e missão. Mas no momento estou feliz de não ter que ir ao culto ou missa todo domingo e cumprir toda  aquela agenda institucional simplesmente para manter a máquina funcionando.

Tirei o formalismo institucional eclesiástico da minha vida, antes ele me tirasse a vida.

9 comentários:

natenine disse...

É difícil frequentar uma igreja onde não se tem amigos, onde não há comunidade, e com sorte ainda se leva umas pauladas na cabeça de quando em vez. Apesar de tudo a Igreja é ideia de Deus, não contexto o teu modo de pensar, quem sabe amanha posso estar assim também, todavia a Igreja é uma coisa bela (de facto não a que eu frequento) mas o ideal de Deus.
Aprecio o teu blog, continua ;)

Paulo Silvano disse...

Caro Roger,
Não aguentei e afanei uma frase do seu texto. Réu confesso, devolvo se o incomodo for insuportável.

Um abraço
Paulo Silvano

Jorge Moreno disse...

fala fera
acabei de postar um texto ...entre dois mundos acho que vc vai gostar
http://comunidade2.blogspot.com/

javejireh disse...

Lembra-se qual foi a reação de JC ao ver os discípulos o abandonando por não suportar o discurso sobre comer a sua carne e beber o seu sangue?
Ele não aprisionou ninguém aos seus moldes, muito ao contrário, Ele os deixou ir, e tambem ofereceu essa opção aos 12, de seguirem também os seus caminhos (mais "confortávelmente"), mas Pedro perguntou:

Senhor para quem iremos? Tu tens as palavras da vida eterna!

Aí reside a grande falha do cristianismo; seguem a todos os preceitos "confortáveis" daqueles que falaram (ou escreveram) sobre o Cristo, mas não seguem aos preceitos que saíram diretamente dos lábios do Cristo

Quer encontrar integridade e efetividade ao seu chamado?
Já experimentou trocar a Biblia por Jesus Cristo, em ordem de importância e preferência?
Eu garanto que Ele não vai achar ruim com você! rsrsrs!

Abs! Boa sorte!

Rodrigo *O Tecelão!

http://javejireh.wordpress.com

Lucas Ferreira de Paula disse...

Teologicamente sou um catélico, alias, catélico ñ, sou um católico-protestante, porém, denominacionalmente, estou mudando de presbiteriano para cavernoso :D

Cleison Brügger de Oliveira. disse...

tal qual o Paulo Silvano, o desejo de externar palavras edificantes assim em nossos blogs é sobremodo veemente!

Obviamente, reproduzirei com os devidos créditos, como também, já estás sendo apontado como Blog de preferência!

Que Deus em Cristo o abençoe!

cleisonoliveira.blogspot.com

Hugo disse...

Tremendo texto. Reflete aquilo que sinto.

Gostaria de pedir permissão para publicar em meu espaço.

Um abraço e que o Senhor te abençoe em sua busca, para que você encontre uma Casa confortável e aconchegante, uma ortodoxia menos ritualística e mais de "carne e osso".

principe_da_paz disse...

Amigo você tirou a igreja de você, tudo bem.

O importante é a Igreja não tirar você dela.

O Senhor não escolhe denominações, ele chama pessoas.

Que Deus o abençoe e que você possa seguir firme como peregrino.

Visite o meu blog, ficaria muito feliz.

Também sou
Inter-NÃO-denominacional.

Graça e Paz

Matheus de Oliveira Souza disse...

Amado,
Não vou defender instituições, mas a comunhão do povo de Deus.
Na Palavra do Senhor são várias as situações onde os santos são aconselhados a "perseverarem unânimes" e a "manter a comunhão".
Afastado de seus irmãos está em comunhão com quem?
Acredito ser sua condição sim, resultado de decepções com homens e instituições, mas...olhe bem fundo em seu coração e diga se lá não existe também um fio de soberba e arrogância, afinal, fácil é dar desculpas para nossas atitudes usando erros alheios, mas e os nossos? É fácil confessá-los?

Um abraço amado e espero, em nome de Jesus que sais desta situação com a fé restaurada a ponto de mover os montes...

A paz.

Matheus

http://matheussouzablog.blogspot.com/
http://minhafamiliaamada.blogspot.com/