Páginas

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Conheceria Deus o futuro (14)

4897075_ba9f3a3732d6807902d3f98929a0aac1_large[1]O que Paulo Brabo teria a dizer sobre o tema?

 

 

 

7 - Creio que Deus pode saber o futuro porque tem sabedoria de sobra para prever os infinitos desdobramentos de cada possível iniciativa livre e ao mesmo tempo poder e recursos para garantir que a sua palavra prevaleça no final sem intervir mais do que eventualmente no traçado "natural" das coisas. Creio que a presciência de que a Bíblia fala é geral e não específica, ligada mais ao poder de influência e de intervenção de Deus (conforme ao tom geral da narrativa da Escritura) do que à predeterminação rígida dos fatos. Não creio que Deus tenha como conhecer antecipadamente a decisão livre que um homem vai tomar no futuro, mas creio que ele seja poderoso o bastante para garantir que essa decisão livre não vá interferir de modo destrutivo nos propósitos futuros de Deus para a humanidade em geral (ou, algumas vezes, nos seus propósitos para o homem que tomou a decisão); creio que ele seja poderoso o bastante para conhecer todos os futuros possíveis provenientes de todas as decisões livres de todos os homens, e ainda assim prover para que nenhuma dessas possibilidades coloque em risco qualquer aspecto do seu propósito geral. Creio que Deus conheça cada homem e todos homens o bastante para ter uma excelente idéia do que vai acontecer e que está absolutamente preparado para qualquer contingência. Qualquer contradição que possa haver entre a idéia de um Deus Todo-Poderoso e homens livres faz parte daqueles mistérios indizíveis nos quais acreditamos em comum.

 
8 – Quando a Bíblia fala de um jeito que parece que Deus nem conhece o futuro e que muda de idéia o tempo todo, está falando disso mesmo. Creio arriscado dizer que seria de outra forma, ou qualquer ponto de vista bíblico poderia ser colocado em dúvida. Se há aparente contradição entre o que a Bíblia diz e a nossa teoria, melhor é reavaliar a teoria - ou abrir maior espaço para contradições aparentes. Trata-se de um mistério daqueles nos quais acreditamos em comum. Eu não diria que Deus está "fora do tempo" em qualquer sentido importante, e não creio que seria do caráter de Deus nos passar uma impressão errada do que está acontecendo. Se ele diz que não muda de idéia, como disse mais de uma vez, cabe-me acreditar. Se ele diz que mudou de idéia, não sou eu a duvidar de que ele possa fazê-lo. A contradição diz respeito ao meu ponto de vista, não ao dele. Não deve ser o meu ponto de vista a limitá-lo, nem que seja com a boa intenção de proteger a sua soberania. Deus é soberano o bastante para não precisar da minha defesa.

12/2/06 16:52 <----- Extraído daqui.

2 comentários:

Luís disse...

Olá Roger!
Excelente matéria e parabéns pelo seu blog muito bom ja estou seguindo.
Quero aproveitar para divulgar oa meuhttp://wwwadoradoresemverdade.blogspot.com/ qun]ando puder faça uma visita.
Um abraço fik na paz.

Rubinho Osório disse...

Aha!!! E o que é que tenho dito todo esse tempo??? Hein??? Exatamente!!!