Páginas

segunda-feira, 14 de junho de 2010

O que supostamente escapuliu aos planos de Deus?

image

Graças à pergunta do Neto no texto Um Deus flexível, poderei, como já queria fazer, deixar didaticamente algo claro.

Se Davi ousou comparar seu Deus com sua própria profissão, usando o pastoreio de ovelhas para compor um dos mais belos salmos; não acho ser maior heresia usar minha própria profissão para entender um pouco melhor meu Deus.

O administrador, apesar das várias correntes e teorias que postulam não exatamente isso, faz somente quatro coisas: P-planeja, O-organiza, D-dirige, C-Controla, o famoso PODC da administração.

De alguma forma o Planejar entra como a primeira das funções administrativas, que são cíclicas, como representadas no diagrama ao lado. Como tudo na ciência, não existe uma linha divisória clara de onde começa uma função e termina outra. Mas o modelo teórico é válido e ajuda muito na prática.

O que eu acrescentei (por mérito ou vexame próprio) foi localizar o foco cronológico dessas funções:

  • Planejamento: foco no futuro
  • Organização e Direção: foco no presente
  • Controle: foco no passado

Nas atividades de planejamento o administrador ou equipe administrativa estará olhando para o futuro e estabelecendo alvos e metas. Em organizar recursos e dirigir pessoas eles estarão envolvidos com o presente. Finalmente, em dado momento, o administrador irá olhar os processos e resultados obtidos com esforços passados e controlá-los (ver o que escapuliu aos planos). O controle forçosamente irá gerar novos planos; e dá-se início a novo ciclo.

Como vejo Deus como um exímio administrador do universo (e de nossas vidas também) entendo que ele cumpre diligentemente suas funções de PODC. Nosso foque volta-se então para o C de Controle. Se Deus tem tudo sob controle, e Ele tem, isso implicará necessariamente no estabelecimento de novos planos, uma vez que os resultados obtidos e os processos nem sempre estão de acordo com o originalmente planejado. Algo escapuliu e escapole aos planos do Todo Poderoso.

Então vamos à pergunta do Neto:

O que supostamente escapuliu aos planos de Deus?

Darei três, dentre vários, exemplos bíblicos:

  1. O fruto proibido: Estava planejado que Adão o comesse?
  2. A jornada do povo hebreu no deserto. Estava planejada para quantos dias?
  3. Quando os samaritanos pediram que Jesus não entrasse em sua cidade. Jesus planejava não entrar lá?

No meu entender nessas três situações Deus tinha outro plano original que precisou ser revisto e alterado: expulsando Adão e Eva do Éden, prolongando a travessia do deserto, e dando prosseguimento à viagem sem pernoitar em Samaria.

Concluo lhe fazendo uma pergunta aparentemente óbvia:

Neto, se olharmos o mundo à nossa volta (as manchetes dos jornais), ou mesmo nossa vida e coração, será que faltariam exemplos de coisas que abundantemente escapam aos planos de Deus?

Dizer que Deus tem tudo sob o controle implica forçosamente em concordar que nem tudo é plano de Deus. Em outras palavras, coisas podem escapulir dos planos de Deus, mas não do seu controle.

12 comentários:

Neto disse...

Olá Roger!

Fico grato de ter minha pergunta não somente respondida, mas de ter sido respondida atenciosamente. Muito obrigado.

Eu creio que você já esperaria que eu discordasse da sua resposta (eu acho). E realmente eu discordo, em vários pontos, e no essencial também.

Mesmo não sendo administrador, dando um “pitaco”, eu começo discordando do seu diagrama. Não nele em si, mas no “foco cronológico”. O “Controle” não tem foco no passado. Tem foco no presente. Como você mesmo disse: “o administrador irá olhar os processos e resultados obtidos [presente] com esforços passados”. Se o que se olhará é o resultado, então ele olhará o “produto” das decisões passadas, no presente. Esse é o foco. Pois é de acordo com os resultados (e não com as ações do passado) que se alterará as ações do futuro.

É importantíssimo ressaltar isso, se quisermos comparar o seu emprego com Deus, e se quisermos ver SE é possível comparar o seu emprego com Ele. Pois se no seu emprego se busca resultado (“sucesso”, vamos dizer, e é isso o que a Administração busca), não é isso o que Deus busca. Números, quantidade de retorno, “sucesso” humanamente falando. Não é isso o que Ele busca (Lucas 16.15). Se a meta é diferente, se as diretrizes são diferentes, logo as ações e o "medidor de sucesso" serão diferentes

Por isso é tão difícil achar que, por exemplo, a Queda de Adão já tinha sido planejada. Na nossa visão de “sucesso” (Criação perfeita, tudo perfeito, tudo limpo), nada daria errado, e até hoje estaríamos inocentes e não separados de Deus.

Agora, se Deus tinha/tem uma visão diferente da nossa (acredite, Ele tem...{Isaías 55.8 e 9}), e desde o início Ele tinha/tem um plano que Ele quer colocar em prática (Pe 1.20 e Rm 5.14), e esse plano incluía o primeiro pecado, então, logicamente, o que parece um “desastre” para nós, não O pegou de surpresa.

Você disse: “isso implicará necessariamente no estabelecimento de novos planos, uma vez que os resultados obtidos e os processos nem sempre estão de acordo com o originalmente planejado”.
Isso nos revela duas coisas:
1-O que eu pensei sobre você colocar o OBJETIVO (“sucesso”) de Deus como os mesmos da Administração estava certo, e te levaram a um erro sério.
2-Você não sabe qual o Plano "originalmente planejado”.

Logicamente, pra você, a Queda, ou qualquer outra coisa ruim que acontece, “escapoliu dos Planos”.

Então se “os resultados obtidos e os processos sempre estão de acordo com o originalmente planejado”, pois o plano incluía esses “desastres”, logo tudo está seguindo o script, e por isso NÃO “implicará necessariamente no estabelecimento de novos planos”.

Continua...

Neto disse...

Continuando:

Você nos deu três “exemplos bíblicos” de coisas que “escapuliram” dos planos de Deus. Gostaria de fazer uma rápida análise de cada um:

1-O fruto proibido: Estava planejado que Adão o comesse?
Sim! Já estava planejado. 1 Pedro 1.19 e 20 e Romanos 5.14

2-A jornada do povo hebreu no deserto. Estava planejada para quantos dias?
A jornada “Egito –> Canaã” já estava planejada para ser por 40 anos. (Deuteronômio 8.2 e 3)

3-Quando os samaritanos pediram que Jesus não entrasse em sua cidade. Jesus planejava não entrar lá?
Sim. Jesus já sabia que seria morto. Já sabia “como” seria morto. Já sabia que Pedro iria negá-Lo. Já sabia quem O iria trair. Fica impossível achar então que ele não sabia que não deixariam que ele entrasse em Samaria. E como Ele sabia de todas essas coisas? Sim, Ele é onisciente; mas Ele não “apenas” sabia. Tudo já estava Planejado (Mateus 26.48 e 49).

“Dizer que Deus tem tudo sob o controle implica forçosamente em concordar que nem tudo é plano de Deus. Em outras palavras, coisas podem escapulir dos planos de Deus, mas não do seu controle.”
Na verdade, isso é uma conclusão falsa. Na verdade não sei como chegou nessa conclusão!
“Dizer que Deus tem TUDO sob o controle implica forçosamente em concordar que TUDO está nos planos de Deus!” Como existem “planos de homens” que o Controlador e Senhor de toda a terra não possui o domínio? (Provérbios 16.9 e 19.21)
Se Deus tem tudo sob controle, e Ele tem Planos, segue-se logicamente que Seus planos nunca falham.
Por isso, dizer que algo “escapole” dos planos de Deus implica logicamente em dizer que nem tudo está sob Seu Controle!
Tiago 4.13 ao 16

Agora, pra finalizar, respondo a sua última pergunta:
“Neto, se olharmos o mundo à nossa volta (as manchetes dos jornais), ou mesmo nossa vida e coração, será que faltariam exemplos de coisas que abundantemente escapam aos planos de Deus?”
Você tem razão! Quando olhamos o mundo à nossa volta, nossa vida e coração, as coisas realmente parecem escapolir dos planos de Deus.
Mas a Bíblia diz que “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?” JR 17.9

A melhor coisa a fazer não é confiar nas Manchetes, na nossa vida ou no nosso coração. Mas no que a Palavra de Deus diz. Aí sim você está firme na rocha. O mundo não está entregue ao acaso.

“A sorte se lança no regaço, mas do SENHOR procede toda a determinação.” Provérbios 16.33

Um abração Roger; Deus nos abençoe.

André von Held Soares disse...

Roger,
Eu gostei muito da simplicidade e da objetividade do seu texto.
De vez em quando eu penso nisso também: como é que eu consigo pensar em um Deus Engenheiro Químico? hehehe
Embora eu ache maravilhoso que Deus tenha criado todas as coisas com esmero, ciência e a mais alta tecnologia de processos químicos, acho que o restante das pessoas ficaria meio nauseada com um texto assim.
Mas, quem sabe, não faço um desses?!
Embora tentado, não vou atravessar o comentário do Neto, pois acho deselegante falar qualquer coisa antes do anfitrião do blog.

Quanto ao conteúdo do seu texto, eu acho sua perspectiva bastante interessante.
Acho que a distinção semântica entre planejamento e controle faz sentido, quando visto por esse ângulo.
Eu acredito que muitas coisas saíram do plano de Deus.
E acho que a teologia mais ortodoxa deu um nome a isso: pecado.
O problema das correntes calvinistas de hoje (e de ontem) é que tentam a reconciliação do pecado com Deus, não através de Jesus, mas através da própria vontade de Deus.
Um deus soberano não poderia deixar nada fora de seus planos.

O problema é que achamos que Deus tem "complexo de Deus" e tem a necessidade do controle absoluto, e, por isso, não pode doar nenhuma gota de autonomia aos homens.

Um abraço e a paz!

Neto disse...

Olá André!

Você fez um comentário que, com sua licença, gostaria de comentar:

"Eu acredito que muitas coisas saíram do plano de Deus."

Assim como eu tentei expor nos meus comentários, o mais importante não é você achar isso, mas o PORQUE de você achar isso. Porque dependendo do motivo, sua conclusão poderá ser errada.

Se possível gostaria que me respondesse essa pergunta: "Porque você crê nisso?"

Um abraço.

Rubinho Osório disse...

O Roger, mais uma vez, cutuca com vara curta.
Vou na carona do André:
Só para fins de exercício teológico, como ficaria uma junção entre o Deus do rei Davi - o "Pastor" - com o Deus do Roger - o "Administrador"? São compatíveis, ou não? São complementares, ou não?

Roger disse...

Oi Neto,

não sei como te responder... ou comentar seu comentário.

Agradeço seu pitaco e camaradagem, é bom ver que apesar de não nos entendermos fica um tom amigo.

Vou tentar ser breve e deixarei para o André ir mais fundo, visto que tivemos mais afinidade nas idéias.

1) Administração - Deus - Resultados - Sucesso: É um tema quente e uma boa idéia pra um próximo Post.

2) Pense um pouco mais com carinho na questão controle e passado. Você verá que só podemos controlar o que já ocorreu (passado); planejar o futuro; e organizar e dirigir o presente.

O Deus que cremos tem uma vontade boa, agradável e perfeita. O mal não é da vontade de Deus. Deus não poderia, assim, planejar o mal, ainda que fosse para atingir boas finalidades. Pensar que os fins venham justificar os meios pode gerar (e normalmente gera especialmente em igrejas e religiões) problemas éticos sérios.

Continua...

Roger disse...

O termo que você usou talvez seja bem apropriado: script (ou roteiro). Pois ele é uma mistura de história e planejamento, e talvez ajude um pouco mais nos exemplos bíblicos.

1) Na questão do Éden, creio como Molina, Deus tinha sabedoria e poder e vontade para prever as duas possibilidades (a. O homem come do fruto da vida, b. O homem come do fruto da sabedoria do bem e do mal). Ele não planejou a queda mas caso acontecesse, Jesus já estava disposto a entrar no roteiro como cordeiro. Por favor não pergunte o que aconteceria na opção a).rs

2) Na jornada pelo deserto, creio que Deus tinha um roteiro claro: poucos dias. Fico com Josué e Caleb. O plano B foi posto em prática o roteiro foi mudado e a história tomou outro rumo para todos inclusive Moisés.

3) Discordo. Creio que Jesus não fez um teatro. Creio que ele não estava ali só cumprindo um roteiro ou plano. Ele quis entrar na cidade, mas os caras não deixaram. Ele que não era bobo foi achar outro lugar.

Minha conclusão (que vc não entendeu é o seguinte): você só controla e até mesmo só planeja se houverem contingências, caso contrário não é plano, nem controle, nem scrit! Você só controla porque algo distoa do plano, caso contrário não é controle. Tudo não passará de uma engrenagem fria, da força mecânica de um programa de computador. Deus não passaria de um mero expectador, passivo.

Finalizando ainda acrescento que Deus não tem TUDO sob o controle, mas o que Ele planejou terá que controlar.

Abraços,

Roger

Roger disse...

Caro André,

realmente Deus não tem o controle de tudo, ou ser Deus, seria uma coisa muito chata! hehe!

Não me admiro pelos calvinistas, no fundo é um tema difícil de conciliar, de alguma forma nosso entendimento encontra seus limites nessa temática. Mas fico com você, não se pode a troco da soberania divina descartar o seu coração amoroso.

Nesse sentido aguardo ansioso o seu texto sobre o Eng. Químico que fica misturando elementos, moléculas e atómos em nossas vidas.

Abraços e volte sempre (na Alemanha digo).

Roger disse...

Rubinho, mano véio,

você viu quem começou foi ele, o Neto!

Quem sabe suas perguntas geram um post também?

Alice disse...

eita nóis ... to é gostando disso...gente inteligente sem medo de pensar diferente!! legal !!


bejooooo

Alice disse...

eita nóis ... to é gostando disso...gente inteligente sem medo de pensar diferente!! legal !!


bejooooo

Janete Cardoso disse...

Bom, como sou leiga de pai e mãe e tampouco me encaixo em vertente alguma, vou postar de atrevida que sou :D

Para mim, que creio num Deus atemporal, que conhece toda a história e a enxerga simultaneamente, fica fácil entender que embora não tenha escolhido o sofrimento humano, mantém o controle e reverte situações.

O Neto citou uma passagem que enche meu coração de gozo. O Cordeiro de Deus foi imolado antes da fundação do mundo, quando não havia homem e nem pecado, como prova do mais profundo amor. Deus verdadeiramente nos amou primeiro e de antemão criou a condição para que fôssemos redimidos de nossas culpas. Isso antes que houvesse culpa. Pra mim, não há prova maior de que Ele conhece o futuro.

Não me considero calvinista, porque creio na nossa autonomia para escolher nossos caminhos, por isso colhemos consequências. Mas de jeito nenhum consigo imaginar um deus sendo pego de surpresa o tempo todo, perplexo com nossas escolhas e frustrado por ver seu plano descer por ralo abaixo.

Estamos limitados ao passado e presente, mas o tempo não existe pra um ser Eterno.