Páginas

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Jesus Cristo não é uma Bíblia encarnada

Os relatos históricos sobre Jesus de Nazaré, que se resumem primordialmente naquilo que ficou sacramentado no cânon, irão nos oferecer poucas passagens onde Jesus está de mãos dadas com suas Sagradas Escrituras.
 
Os evangelistas, porém, irão atrelar um sem-número de acontecimentos dos primeiros e últimos anos da vida de Jesus àquilo que as Escrituras supostamente predizeram ou profetizaram.
 
Tudo levaria a entender que o dito “Verbo” ou Logos que se fez Carne seria, nada mais nada menos, que a própria encarnação da Bíblia. Ledo engano...
 
Aquilo que evangélicos tinham como vantagem, ancorar suas doutrinas e fé exclusivamente na Bíblia, acabou por tornar-se, com o passar do tempo, em uma desvantagem. Católicos, desigrejados ou mesmo os sem confissão são menos bíblicos em suas filosofias de vida e por isso vivenciam, paradoxalmente, melhor o espírito da graça - ou seja, o espírito bíblico.
 
A Bíblia virou o fundamento e tirou a Pedra de Esquina de seu lugar. A Bíblia é para o crente de linha protestante o fundamento de sua fé e de sua comunidade. Quando queremos ouvir a Deus, resta-nos pouco mais do que os limites daqueles sessenta e seis livros espremidos entre duas capas pretas. Quando queremos nos organizar ou reunir puxamos a Bíblia para o meio da roda.
 
Não é raro líderes e liderados do movimento argumentarem que só argumentam com pessoas que creem na Bíblia. Longe disso não há possibilidade de diálogo.
 
Não demorará muito serão feitos apelos para que se aceite a Bíblia como única e suficiente salvadora (explicitamente, pois implicitamente já funciona assim).
 
Jesus, pobrezinho, do seu trono, lá nos céus, observa os “neo doutores da lei” avançando pelo mundo, mas agora sob a égide de seu nome. O Espírito Santo, tadinho, aqui na terra, se restringe à difícil tarefa de iluminar a leitura daquele Livro, para pessoas que definitivamente não querem o espírito mas a letra do Livro. Ele, que outrora movera santos pelo simples sopro, pelo queimar de sarças, pela luta corporal ou pela expressão da criação, agora é confinado ao conteúdo literal (tantas vezes questionável) dos textos sagrados e seus intérpretes. E Deus, o Pai, que um dia sonhou tanto em ter um filho à semelhança dos homens, ao invés de dizer: Este é meu Filho, hoje te gerei, terá que se contentar somente com as glórias da academia e reformular assim seu brado de alegria:
 
“Este é meu Livro, hoje te escrevi”...

10 comentários:

Apologeta disse...

Olá! Meu "pitaco" é que você deveria repensar sua posição. Quantas vezes Jesus pronunciou a sentença "está escrito"? Quantas vezes é mencionada a sentença "isto é o que foi dito pelo profeta..."? Tem mais: Jesus mesmo afirmou: "E começando por Moisés e todos os profetas, explicou-lhes o que constava a respeito Dele em todas as Escrituras.... "Era necessário que se cumprisse tudo o que a Meu respeito estava escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos." (Lucas 24:27,44)

Para você só resta essa repreensão: "Ó gente sem inteligência! Como sois tardos de coração para crerdes em tudo o que anunciaram os profetas!" (Lucas 24:25)

Rubinho Osório disse...

O Apologeta aí que me desculpe, mas vc não entendeu nada! Quendo Jesus cita o Antigo Testamento (o mesmo vc faz), fazia-o justamente para mostrar o quanto a Lei era insuficiente para mostrar e demonstrar a enormidade da Graça. Ele tava dizendo o mesmo que eu digo pra vc: vc não tá entendendo nada!

Rubinho Osório disse...

Lógico que é "quando" e não "quendo" (isso deve ser alemão...)

Janete Cardoso disse...

Os evangélicos lêem, relêem, repetem incessantemente o que leram, mas não digerem nem metabolizam o que leram, de forma que se torne Vida na vida. Uma vez que já conheço a letra e a assimilo no espírito, não preciso fazer da leitura uma religião, porque já fui vivificada. Não preciso decorar a ordem das letras, nem onde está escrito. Só preciso compreender o ensino e viver.

Erinho Ferreira disse...

Interessante é que a própria Bíblia que é avacalhada e desprezada por esse “doutor”, mostra o apóstolo Paulo exortando o jovem Timóteo sobre esses falsos mestres, ele diz o seguinte:
II Timóteo 4:1-4
1 - CONJURO-TE, pois, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino,
2 - Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina.
3 - Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;
4 - E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas.

Eu fico imaginando como uma pessoa diz que crê e segue a Jesus, porém rejeita a FONTE de todo conhecimento sobre Ele. Esses “doutores” certamente não sabem que o principal motivo que fazia o povo de Israel se desviar dos caminhos do Senhor era justamente a falta de conhecimento sobre o Senhor, como está escrito: “O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; e, visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.” (Oséias 4:6). Certamente nunca leram Salmos 1:1-2, que diz:
1 - BEM-AVENTURADO o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.
2 - Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite.
Será que eles não sabem que a letra de que Paulo fala em II Co 3:6 é a lei de Moisés, que tinha a função de condenar o infrator? E que nada tem haver com a Bíblia, pois senão Paulo não falaria o que está escrito em I Corintios 4:6, que diz:
“E eu, irmãos, apliquei estas coisas, por semelhança, a mim e a Apolo, por amor de vós; para que em nós aprendais a não ir além do que está escrito, não vos ensoberbecendo a favor de um contra outro.”
Em fim, “sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.” (II Pedro 1:20-21)

Raquel Brandao disse...

Obrigado pela bela reflexão Roger. Acho que as vezes tentamos nos apropriar da Bíblia como "coisa" e nos esquecemos da Bíblia experiência. Já recorri a bíblia inúmeras vezes quando estava angustiada e na maioria das vezes me senti mais confusa. Deus é complexo porém o básico e o mais importante do que Ele nos pede em ensina é o amor e a caridade que são coisas simples de compreender mas a gente fica inventando moda né?

CALITE disse...

PRA MIM A BIBLIA ME MOSTRA COMO JESUS NOS ENSINA A SERMOS HUMILDES , E AJUDAR O RPOXIMO ,ELE MESMO SENDO FILHO DE DEUS MORREU NA CRUZ PARA MOSTRAR HUMILDADE , E PERDAO, PARA QUE SIGAMOS SEU EXEMPLO , HÁ VARIOS ENSINAMENTOS DE CURA , PERDAO , FÉ PARA SEGUIRMOS E NAO PARA DECORARMOS FRASES E SAIRMOS PREGANDO ,NOS ENSINA AS COLHER OS FRUTOS DO QUE PLANTAMOS . QUE A LEI DO TALIAO FICOU PARA TRAZ , COM A VINDA DE JESUS É AMAR O PROXIMO COMO A TI MESMO !!!

Roger disse...

Bem lembrada a expressão, "não ir além do que está escrito", Erinho Ferreira.

Mas isso foi um errinho seu.


Dividimos a expressão em duas partes:

1. o ir além

2. o que está escrito

Na segunda parte é mais fácil, pois o significado de "o que está escrito" tem que ser o "espírito" do que está escrito e não "a letra" ou "a interpretação literal" do que está escrito.

Na primeira parte todavia, confesso, é mais complicado. Entendo que a Bíblia nos dá exemplos de sobra de pessoas que foram além, e até mesmo por isso alcançaram o favor divino. Sendo que Jesus é a principal delas.

Teria que reler o contexto de Corinto, de Paulo e Apólo... mas é justamente esse tipo de apego que estou evitando...

Quem sabe acharei tempo para isso...

No momento fico com minha convicção de que Deus quer pessoas que vão além do que está escrito literalmente e se adentrem na dimenção do espírito daquilo que está escrito. E Paulo alerta, não vá além do "espírito" daquilo que ele deixou escrito. E é isso que estamos tentando assegurar aqui.

Erinho Ferreira disse...

Roger,
É bem verdade que por traz de todo texto tem um pensamento, uma visão, um contexto, etc. "Todo texto sem contexto é pretexto para heresia". Por isso, precisamos procurar conhecer o contexto para podermos fazer uma interpretação honesta e verdadeira do texto. E é justamente nesse "espírito" da letra que eu me apego.
Todavia, o que Paulo estava advertindo aos coríntios era justamente não se ensoberbecer-se contra os seus irmãos, julgando a conduta deles através de dogmas inventados por eles mesmos, ultrapassando o que estava escrito, que é o parâmetro para o julgamento das nossas ações. Como está escrito: "Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça." (João 7:24).
Lembrando que Paulo nos advertiu que, "ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema." (Gálatas 1:8). E o que vc está apresentando é, com certeza, OUTRO EVANGELHO, que despreza as Escrituras Sagradas e supervaloriza a experiência. Esse seu evangelho deve ser considerado ANÁTEMA! Pois, Martinho Lutero já dizia: "SOLA SCRIPTURA".

Alex Esteves da Rocha Sousa disse...

Roger,

Seu pensamento sobre esse tema é muito preocupante. A alternativa para o Sola Scriptura é o misticismo (relação direta com Deus, sem o Cristo da Bíblia); ou o Liberalismo (substituição da autoridade da Escritura por sentimentos, ideias humanas, subjetivismo, mitos); ou a autoridade dos acadêmicos; ou a autoridade da Igreja. Não vê em que está se metendo? Deus foi Quem resolveu Se revelar pelas Escrituras, e elas mesmas fazem a reivindicação de sua autoridade definitiva e suficiente. Pense nisso!