Páginas

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Diretas jaz…

Por que um blog, como este, que se propõe a tratar de coisas espirituais desce tão baixo e começa a mexer com política?

Ontem, assistindo a última palestra do falecido Pe. Leo, onde ele, com muita propriedade define as coisas espirituais como sendo as coisas terrenas: como trabalho, carro, sexo ou política. Segundo ele, as coisas terrena por si só não são nem do céu nem nem do inferno. Somos nós quem carimbamos as coisas como do alto, na medida que lhe atribuímos o caráter do alto.

Para o Pe. Leo, poderíamos então concluir que, a política seria coisa do alto, na medida que fazemos dela um instrumento que promova a justiça, a paz e a alegria.

Não seria difícil para um leitor desavisado concluir também que o nome desse Blog, “Teologia Livre” se aproxima semanticamente de uma linha teológica, a “Teologia da Libertação”, com forte colorido político esquerdista.

E de fato, não escondi minha tendência progressista em algumas postagens.

Daí surge outra pergunta: Se falar de política é certo, se uma linha que luta pela justiça social é também boa, por que então, agora, apoiar uma candidato neoliberal do PSDB?

Eu revido então: O que é neoliberal? Seria o Aécio neoliberal?

Quando vejo, hoje, o resultado das pesquisas que apontam uma vitória certa do PT, confesso que me entristeço. Não que eu imagine que um segundo mandato de Dilma jogará o país num buraco. Pelo contrário, se ela der mais atenção para a economia e for mais austera, as chances são bem boas para que o Brasil experimente mais uma boa fase de prosperidade.

Então porque tristeza?

É lastimável ver o jogo sujo que Dilma, PT e simpatizantes fizeram nessa campanha eleitoral. E mais triste ainda é ver que tal estratégia (nada justa, nada alegre e nada pacífica) passa sem problemas pelo senso (não) crítico do eleitor.

Os fins não justificam os meios, e o PT tem repetidamente usado meios corrompidos para atingir fins “justos”. E essa campanha baixa do PT não mostra uma disposição de mudança de rumo, pelo contrário indica que num próximo mandato sobram poucas esperanças por mais austeridade. E isso é triste.

É triste assistir que um processo democrático e tão evoluído como o voto direto, não leva necessariamente a uma escolha racional e evoluída.

O Brasil tem ainda muito o que aprender.

4 comentários:

jesusnaoecristao disse...

Olha, sou da teologia da libertação e de esquerda. Não sou petista, mas sou obrigado a discordar de você. Como alguém que estuda a sociedade e a cultura, creio que quem mais tá fazendo jogo sujo é o PSDB. Todo seu programa é constituído de mentiras, e todas apoiadas pela grande mídia.
Se o PSDB é neoliberal? Sim. Suas privatizações, a política de Estado mínimo e serva do mercado deixam isso claro. De social-democrata ele não tem nada. PSDB governa para ricos. Além de que o Aécio censurou a mídia do próprio estado (o que é um fato e contra estes não há argumentos).
Embora não seja petista, confesso que o governo do PT foi um avanço em questões sociais, na luta pela corrupção (sim!) e até econômica. Tenho muitas ressalvas, mas ficam para outra hora.
De qualquer forma, independente de nossos votos, caminhemos juntos pela libertação do povo com o horizonte no Reino de Deus. Não tão preocupados com a riqueza dos grandes, mas com a simplicidade dos pequenos.
Deus esteja!

rubens osorio disse...

Cara, meu, quiquiéissu?!
Vc não deu um exemplo que seja dos teus argumentos contra o PT, que eu posso transcrever e colocar PSDB no lugar... e tb estarei certo!!!!
Não votarei na Dilma, vc sabe disso.
Agora, dizer que o Aécio é opção (ética, ideológica, prática, e, vá lá, teológica) válida para a alternância de poder político é viajar muito.
Menos, mano. Menos.

rubens osorio disse...

Ah, e tem mais: gostei do comentário anterior ao meu, ok?

Roger disse...

O PT manipula o povo. Isso não é democracia.
Comparar o PSDB a nazistas... Falar que Aécio agride mulheres... E o que fizeram com Marina.
O PSDB pode ser parecido, mas nunca usou desses artifícios, nem muito menos nessa escala.