Páginas

domingo, 20 de março de 2016

Eu quero é Golpe

Collor foi tirado através de um golpe?

De certa forma sim. É uma questão semântica. No consciente e inconsciente coletivo, sem dúvidas golpe lembra a ditadura militar. E é nesse sentido que a sociedade é aterrorizada. Ninguém hoje em são juízo iria querer outro golpe.

Mas queremos um golpe, como aquele que foi dado no Collor. Para tirá-lo do Planalto.

Mas a inhaca é que o Partido dos Trabalhadores colocou a sociedade numa armadilha. Se a Dilma sair quem a substituirá? Para sermos honestos é uma armadilha que a própria sociedade brasileira se impôs. Que não pode ser melhor traduzida do que na frase: “… não me representa”.

A linha sucessória da presidência é composta, em ordem, pelo vice-presidente, presidente da Câmara dos Deputados, presidente do Senado Federal e presidente do Supremo Tribunal Federal.

Não é difícil prever que sair das mãos de Dilma para cair, em Temer, Cunha, Calherios é sair da frigideira para cair no fogo. Mas isso não significa que permanecendo na frigideira não seremos fritos.

Uma solução seria a esperada por Marina. Anular a chapa Dilma/ Temer via TSE e propor novas eleições. Esse seria sem dúvidas um jeito de contornar o PMDB corrupto. E recomeçar do zero, com um novo governo. Enquanto a Lava Jato, e o judiciário continuariam seu trabalho.

Todos nós ansiamos por uma ampla reforma política. Talvez essa seria a saída que  viabilizaria ela.

Não importa como o Brasil sairá desse beco. Ditadura ninguém quer. Corrupção ninguém quer mais.

As etapas propostas na constituição terão que ser seguidas uma por uma de forma transparente.

A pergunta não é mais se Dilma cairá ou não, mas quando.

Será um golpe para o PT mas uma alavanca para a democracia e para o estado de direito no Brasil.

2 comentários:

Tuco Egg disse...

Pra variar, a Marina é a voz mais sensata no meio da turbulência.

rubens osorio disse...

Meu, peço permissão para discordar. Novamente.
Novamente, o problema está na frase escolhida:
"recomeçar do zero, com um novo governo. Enquanto a Lava Jato, e o judiciário continuariam seu trabalho."
Aposto todos os dedos das mãos e dos pés que, caso se configure a queda da Dilma e a substituição do PT por outro partido (qualquer) no governo, a Lava Jato desaparece. Ninguém mais será punido. O desemprego e o dólar caem imediatamente, o crescimento econômico volta miraculosamente. A corrupção "desaparece"... e NADA MUDA!!!!!!
E,mano, afirmo isso a partir de experiência em primeira mão na minha cidade. Quando tiver oportunidade, te conto.
Abs