Páginas

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Mea Culpa

Zoo e Kleintettau 122 Querida Norma,

vamos ao meu pedido de desculpas. Aqui agora não caberão as ironias minhas nem humor o que poderia distorcer a mensagem que quero passar a você e aos outros. Falo com seriedade e sinceridade.

Há coisas para eu me desculpar em relação a você, Nagel e Nicodemus.

1) Os erros ortográficos já foram corrigidos.

2) Houve um erro de pontuação, onde eu deveria ter colocado uma vírgula e não um “e” antes de os dois Temporas. Como ficou deu a entender que me referia a você e a Nagel. Mas me referia de fato a Solano e ao Mauro. Também corrigi esse erro de pontuação.

3) Na questão do Gondim eu errei, sim, e feio. Perdoe-me!

4) No elogio que fiz aos outros Blogs... te entendo também. É mesmo desagradável o que fiz.

5) Se eu falei mentiras e não fui fino também te peço perdão.

Faço uma consideração, agora, me dirigindo a Nicodemus, sobre o tema do Post, não para me justificar, pelos erros que cometi, mas não quero perder essa oportunidade de relacionar isso ao tema relativismo X verdades absolutas (certo e errado). É o seguinte:

Se eu não tenho a disposição de relativizar, jamais conseguiria entender a Norma.

1) No primeiro ponto ela começou com uma questão bem objetiva, basta eu olhar o dicionário. Se bem que até nisso pode haver controvérsias especialmente agora com a reforma ortográfica. Mas no caso, é claro que estou errado. Há uma verdade óbvia.

2) Aqui, na pontuação, já acho mais complicado. Pois o referencial seria uma gramática da língua portuguesa, o que é mais complicado de ser consultado. Mas com boa vontade, tentando entender minha interlocutora. Percebi o deslize.

3) Agora as coisas começam, já a cair em um subjetivismo onde quase não conseguimos ver mais aquilo que é objetivo e absoluto: Gondim foi perseguido ou criticado? O que eu de fato quis dizer com o termo “perseguido”? Onde estaria a verdade? Adiantaria eu apontar para Norma minhas reais intenções, a leitura que fiz do ocorrido? Seria esse o espaço e tempo propício para tal discussão? Não. Prefiro deixar de lado minhas convicções, minhas verdades, e dar a mão a palmatória. Afinal, se ela interpretou assim, há boas chances de ser correto. E mais do que isso, o que na verdade penso é que como eu tomei as dores do Gondim nisso tudo e me posicionei ao lado dele, é óbvio que transmito isso, e se Norma se sentiu ofendida é porque algo a ofendeu. E essa, não foi absolutamente minha intenção. Provocar sim, ofender não. Mas às vezes as duas coisa são tão próximas...

4) Sei que no campo científico (teológico) as coisas são mais rígidas e menos flexíveis que nos relacionamentos interpessoais. Mas esse é novamente meu ponto, teologia é pra mim, acima de tudo o exercício de conhecer um Deus que se relaciona comigo (Ele é um sujeito e não um objeto). E nisso há margem para muita flexibilidade. Por exemplo, a questão da Bíblia, embora meu pai e minha mãe tenham escrito livros, jamais leria um livro de regras, para aprender a me relacionar com eles. E nem as cartas que me escreveram serviam para isso. O que quero dizer, voltando ao pedido de desculpas, é que tenho tanto prazer em me relacionar com essa ala, como com a outra, pois creio que somos todos irmãos em Cristo. A sensibilidade feminina da Norma me mostrou algo que talvez as outras figuras masculinas não conseguiriam mostrar. Quero que ela entenda que a amo ainda que elogie outros Blogueiros com os quais me identifico mais.

5) Usei no meu quinto pedido propositadamente o “se” e nele tudo se relativiza. Pois tenho uma consciência limpa de que não menti nem ofendi ninguém. Mas se isso foi entendido como mentiras e ofensas pela Norma, e foi, por que devo ficar prezo ao meu orgulho e à minha cabeçudice? Não, como alguém já disse, prefiro ser feliz do que ter razão. Ainda que o melhor seja ser feliz “e” ter razão, nesse caso não há escolha, abro mão da razão para ser feliz.

Esse é o relativismo que advogo, na minha maneira de aprender e fazer teologia, nos meus relacionamentos com o próximo ou com meu Deus.

Um fraterno abraço para vocês,

Roger

Leia também:

6 comentários:

Alice disse...

Passei e te deixei um beijoooooooooooooooooooooooo !!!!

Roger disse...

Obrigado, Alice, outro beeeeeeeeeeeeeeeeijo !!!

Roger

Lou Mello disse...

Meu, tem mais dessa coisa aí? Cara que barato! Você ficou muito doidão. Essa e das boas. Bebeu, fumou ou cheirou?

Roger disse...

Lou,

se não for efeito colateral retardado deve ser algo que colocaram naquele sorvete que tenho nas mãos.

Com certeza tem mais!!

Volney Faustini disse...

O cara cheirou cola e ainda mordeu a lata ... he he

Roger disse...

Caríssimo Volney,

ainda estou para entender o que está por trás desse humor fino de vocês!

Vocês escrevem seus Blogs com uma garrafa de John Walker do lado, por que eu não posso ter a minha latinha??

Forte abraço,

Roger